Como e onde se hospedar em Amsterdã

Atualizado em 24 de novembro de 2017 por Thiago Khoury

Update: 16 de setembro de 2016

O post foi atualizado com novas dicas testadas por leitores do blog!

Leia as minhas quatro regras de ouro para se hospedar em Amsterdã sem cair em cilada. Se você tem outras indicações de onde ficar na cidade, não se acanhe e deixe logo o seu comentário dizendo como foi a sua experiência.

Onde ficar em Amsterdã

Dicas de hospedagem em Amsterdã

  • Primeira regra de ouro para se hospedar em Amsterdã: fuja da estação central

Claro que estou generalizando uma situação que pode ter lá os seus benefícios: quem chega em Amsterdã pela estação central e pretende passar apenas uma noite na cidade pode se dar bem ficando bem próximo de onde partem os trens, ou quem pretende apenas queimar um e beber.

Para quem não abre mão de se hospedar em hotel, mesmo que seja um péssimo hotel, aquele miolinho nas redondezas da Damrak oferece várias possibilidades por preços bem pequenos.

  • Segunda regra de ouro para se hospedar em Amsterdã: escolha o bairro certo

Quem escolhe os canais em detrimento do miolinho da Dam tem a chance de escolher todo tipo de hospedagem e eleva as suas chances de acerto – o Max Brown é um ótimo exemplo: fica entre prédios residenciais do século 17 e tem tarifas por 150 euros durante a maior parte do ano.

18454403

18454486

O charme do quarto duplo do Max Brown

Se você acha que ficar perto das melhores baladas é o mais conveniente, Leidesplain é uma ótima escolha não só pelas baladas propriamente ditas, mas por ainda assim fazer parte de região central e ter uma infinidade de linhas de ônibus e bonde passando por ela.

Dê uma olhada no Tulipa, uma pousada que tem ótimos preços e recomendações incríveis, ou procure por outras opções próximas a ele – quer uma dica extra? Como o Tulipa, sempre que ler ou ouvir indicações nos arredores do Voldelpark, certifique-se apenas estar escolhendo a região do parque mais próxima a Leidesplain, ao lado dos museus de Museumplein.

Rembrandtplein também é interessante, região de muitos bares, pubs e terraços a céu aberto, melhor dica para o famoso “esquenta”. Por ele passa a Amstelstraat, a tradicional rua gay de Amsterdã.

21470122

Tulipa é uma casa com vários quartos e cozinha compartilhada

  • Terceira regra de ouro para se hospedar em Amsterdã: existem albergues e albergues

Lembre-se que na cidade onde o baseado é permitido o número de turistas efusivos tende a ser grande. Para quem não é do tipo albergue a cidade pode não ser o melhor lugar para começar a flertar com a ideia de dividir quarto com desconhecidos.

Escolha albergues com quartos reservados e banheiros privativos ou tente uma casa flutuante, os famosos houseboats de Amsterdã, como essa que comporta confortavelmente quatro pessoas, tem dois quartos, varanda, cozinha e banheiro.

22904654

22904657

Camas de casal nos dois quartos do Amsterdam Houseboat

  • Quarta regra de ouro para se hospedar em Amsterdã: minhas dicas!

Gosto de todos que apareceram por aqui, mas Max Brown deve ser o que gosto mais. É um prédio pequeno, bem localizado e que foi recentemente renovado. Tem decoração aconchegante com muitas poltronas de couro e luz natural.

Conheci também o albergue Flying Pig que possui duas unidades na cidade, uma no olho do furacão e outra pertinho do Vondelpark, no caminho do Van Gogh. O bacana do Flying Pig é que ele possui quartos privativos por menos de € 50, quase todos com banheiro – em alguns o banheiro é dividido com o quarto privativo ao lado, em outros, cada quarto possui o seu, porém não exatamente dentro dele.

Os quartos privativos possuem um frigobar vazio a espera de suas compras de mercado, uma comodidade que é sempre muito bem-vinda!

Sobre os dormitórios, a dica principal é evitar os quartos com 32 camas (sim meu amigo, 32 camas, é mole?). Se você estiver viajando com amigos ou em casais, para poupar dinheiro a melhor escolha é conseguir camas de casal onde dormem duas pessoas pelo preço de uma.

Já sabe onde ficar na Europa? Muita gente fica insegura antes escolher onde ficar porque gostaria de ter o máximo de informações possíveis sobre determinado lugar. Para ajudá-lo, essas são algumas das experiências que tive na Europa:

Amsterdã: Max Brown Barcelona: Hotel Curious Berlin: Adina Apartment
Bruxelas: Hotel La Grand Cloche Dublin: Paramount Hotel Edinburgh: Palace Residential
Frankfurt: Hotel Scala Lisboa: HF Fenix Garden Hotel Londres: Hotel St. Giles
Munique: Hotel Demas City Paris: Hotel Paris Rivoli Praga: Hotel Bile Kuzelky
Roma: B&B da Marlene Viena: Hotel das Tigra

Salvar

Salvar

7 comentários sobre “Como e onde se hospedar em Amsterdã

  1. Olá, tudo bem?
    Eu e meu marido estaremos em outubro na Itália, Toscana, para um compromisso de 2 dias e gostaríamos de aproveitar pra conhecer alguns países, mas só temos 10 dias contando com o período de deslocamento. Você teria algum roteiro bacana pra indicar incluindo Amsterdã, passeios de trem, talvez Suíça e Alemanha.
    Por favor, pode me ajudar?
    Alessandra

  2. Fiquei alguns dias em Amsterdam, depois fui para Berlim e na volta pra Amsterdam, para daí já voltar para o Brasil, fiquei no Flying Pig Downtown. Realmente um desespero. Muita bagunça! Banheiros compartilhados (do bar) fedidos e sujinhos. Muitas escadas para chegar até o elevador e até o locker, o que significa muita paciência e cansaço. Muito diferente do albergue em Berlim (Pegasus Hostel, esse, muito organizado e quieto e elevador na cara do gol).
    Quando chegamos na cidade (vindos do Brasil, antes de ir para Berlim), ficamos em um hotel próximo a Leidseplein, do lado do Vondelpark, na Vossiustraat: Hotel Vossius Vondelpark. Preço bom, atendimento bom, oferece café da manhã pago (não experimentei), internet paga (ruim), snacks machine na recepção, computadores com internet de graça na recepção, sala para guardar malas, elevador, amenidades para chá e café no quarto, shampoo, sabonete e toalhas. Limpeza diária. No quarto que fiquei, não tinha frigobar (não sei se tem em outros quartos). Como falei, é muito próximo a Leidseplein, Hard Rock Café, passeio de barco Blue Boat Tours, Museumplein e Vondelpark. Região tranquila quanto à segurança, dá pra andar de madrugada tranquilo. Não peguei ônibus, nem de linha, nem de city tour, não sei como funciona. Os bondes são rapidinhos, próximo ao hotel, tem pontos na Leidseplein, onde passam bondes que te levam pra muitos lugares e na Museumplein, onde devem passar umas duas ou três linhas, mas só peguei em direção a Leidseplein mesmo. Ficando nesse hotel, aposto que você poderia mudar o nome do post para “ótimo lugar para se hospedar em Amsterdã”. :)

  3. Gostei das dicas, e tenho uma também!

    Como acho Amsterdam um pouco cara e geralmente viajo sozinho, tenho ficado em albergues quando vou pra lá. Nunca fiquei no Flying Pig, mas os da rede Stayokay, únicos filiados à Hostelling International (Albergues da Juventude) na cidade são realmente muito bons! O Stayokay Vondelpark fica logo depois da Leidseplein, ideal pra curtir as baladas e cair na cama 10 minutos depois. E o clima é legal, mais relax, mas nem por isso é chato, muitos holandeses o frequentam justamente por não ser o preferido dos “junkies”, o que facilida a interação com locais, também.

    Fica a dica! :)

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

*