Rodei em Victoria, British Columbia

Update: 7 de dezembro de 2014

Victoria não está entre as dez maiores cidades do país, provavelmente não está nem entre as dez maiores economias, mas alguém deve estar fazendo a coisa certa por lá: de acordo com o Greater Victoria Visitors and Convention Bureau, só em 2010 foram mais de quatro milhões de visitantes.

28031101

Leia mais para saber o basicão de Victoria:

+ Qual o melhor seguro de viagem para o Canadá?

Onde se hospedar em Victoria, British Columbia

Como e por onde rodar em Victoria, British Columbia

Victoria, British Columbia

Victoria está no mapa, mas não é fácil encontrá-la: diferente do que pode parecer, Victoria foi parar em Vancouver Island, enquanto Vancouver, inexplicavelmente, está no continente.

Sim, British Columbia possui uma ilha com 30 mil quilômetros quadrados boiando à esquerda do mapa, a maior do Pacífico e uma das 50 maiores do mundo.

É lá que está Victoria, uma versão compacta de Vancouver, como se levássemos a cidade grande em uma excursão pelo interior. Um lugar onde quem se despede do motorista antes de descer pela porta de trás do ônibus sabe que será bem recebido quando passar pelas portas da frente.

Saudosismos à parte, Victoria está longe de ser uma casa de repouso em maiores proporções: é possível comer e beber como na cidade grande; assim como em Vancouver, o “esquenta” é a parte mais interessante da noite. As baladas são mais modestas, mas você consegue garimpar coisas bem agradáveis nas quintas e sábados – sei que é difícil acreditar, mas nas noites de sexta a cidade parece fechar para balanço.

Como chegar em Victoria, British Columbia

Você pode chegar de avião vindo de alguma outra cidade canadense; passei pela experiência e digo que não há nada mais bucólico do que o aeroporto de Victoria: o carrossel de malas fica a dois ou três metros da calçada em frente ao desembarque que, veja só, está ao lado do embarque.

Existem quatro formas de deixar o aeroporto: de táxi (prepare-se para gastar uma pequena fortuna), de transporte público (pegando a rota 83 que passa poucas vezes ao dia e deve fazer o trajeto durar uma eternidade), alugando um carro e via shuttle.

Pague a tarifa no balcão próximo ao carrossel de bagagens (tudo acontece nas redondezas do carrossel) e escolha em qual dos vários pontos disponíveis na cidade você prefere ser deixado. Para ir ao aeroporto de shuttle, ligue com antecedência para o telefone que aparece no site e marque o melhor horário.

Para quem está indo ou vindo de Vancouver

Quem está indo ou vindo de Vancouver tem outras três formas de fazer a viagem: via transporte marítimo, seaplane e excursões de turismo.

Transporte marítimo é a forma mais comum de viajar entre elas: para quem sai de Vancouver, o primeiro passo é chegar ao porto de Tsawwassen, mas pronuncia-se Tuóssan. Saindo de Downtown uma corrida de táxi sai por aproximadamente CAD$ 80, e a melhor pedida é combinar um horário com antecedência.

A viagem de transporte público dura cerca de noventa minutos: primeiro você chega a estação de metrô Bridgeport pela linha Canada Line e, de lá, pega o ônibus 620 em direção a Tsawwassen.

Entre na fila para adquirir sua passagem ou compre-a nas máquinas de autoatendimento. Existem vários navios que fazem o trajeto, mas o importante é saber apenas o destino. A viagem dura outros noventa minutos, custa menos de CAD$ 15 e acontece várias vezes ao dia.

Chegando ao porto de Swartz Bay, em Victoria, você pode pegar o ônibus da rota 70 ou 72, mas o primeiro é expresso. Um ponto bom para parar no coração de Downtown Victoria é em frente ao shopping Bay Centre, na Douglas Street.

Se você está com uma grana sobrando ou não pode perder muito tempo, faça o trajeto entre as duas cidades em um seaplane, esses charmosos hidroaviões que aterrissam na água.

A grande diferença de um seaplane para o transporte marítimo é o tempo gasto na viagem: chegar até o porto, pegar o ferry e depois seguir em direção a centro consome aproximadamente quatro horas do dia – mas um hidroavião levanta voo em Waterfront e aterrissa em Inner Harbour em apenas meia-hora, respectivamente nos corações de Downtown Vancouver e Downtown Victoria.

Pela internet, de domingo a domingo, a Harbour Air Seaplanes possui voos que variam entre CAD$ 90 e CAD$300 para o trajeto ida e volta de acordo com o dia e o horário da viagem.

Mas se você é estudante em British Columbia e descobriu as maravilhas de uma excursão em grupo, dê uma olhada nos preços da Discover Canada Tours. Além de viajar para todos os pontos turísticos da província, eles disponibilizam um pacote especial de uma noite em Victoria por CAD$ 190.

Como se locomover por Victoria, British Columbia

Hospedado em Downtown você dificilmente precisará de qualquer outro meio de transporte que não as pernas: coloque-as para funcionar! O lugar não é grande, é plano e o passeio é bem agradável.

Caso você esteja distante do centro, vale pegar um táxi para chegar até lá ou voltar para casa. Visite o site da Victoria’s Driving Force e tenha sempre um número para discar se pintar a necessidade.

Andar de ônibus é fácil e prático, além de economizar alguns trocados se você precisar ir um pouco mas além dos limites do centro.

O site BC Transit ensina como usar o “trip planner” do Google, mas vale mais fazer perguntas pela cidade ou pesquisar os trajetos mais comuns.

Onde se hospedar em Victoria

Em qualquer lugar de Downtown ou em suas proximidades. Infelizmente a oferta de tipos de hospedagem não é das mais fartas, mas tenha sempre em mente que você deve se hospedar no miolinho onde as coisas acontecem para aumentar a produtividade do seu dia.

Procure as opções entre a Johnson Street, ao norte, e o Royal British Columbia Museum, ao sul. De leste a oeste você pode se hospedar em qualquer lugar entre Wharf Street e Quadra Street. Algumas dicas que dou são Strathcona Hotel, Rialto HotelBest Western Plus Carlton Plaza Hotel.

Conheçam a Ana, minha anfitriã na cidade

Segurança em Victoria

Victoria é uma cidade bem segura e eu nunca ouvi ninguém dizer que já teve problemas por lá.

Uma vez deixei minha carteira dentro de um provador da Levi’s e só fui perceber a mancada duas horas depois quando precisei pagar a conta em um restaurante próximo. Voltei correndo para a loja e quando cheguei lá a carteira estava lacrada dentro de um envelope com todo o dinheiro dentro.

Você irá perceber que Victoria também tem os seus pedintes e drogados espalhados pelas ruas, mas, mais uma vez, eles não representam risco algum. Entrar no McDonald’s da Douglas Street não é perigoso, mas é diferente: frequentado quase que exclusivamente por moradores de rua, os restaurantes da rede de lá têm um outro significado bem diferente do que o que estamos acostumados aqui.

É seguro andar até a balada ou voltar caminhando para o hotel às duas ou três da manhã, horário em que elas geralmente fecham as portas – mas além de ficar atento sempre e evitar andar sozinho em ruas desertas e escuras, em Downtown vale ficar nos limites da Johnson Street, antes de chegar na Pandora Ave.

Outras dicas do blog para programar a sua viagem:

  Já sabe onde ficar em Victoria e Vancouver? Em Victoria gosto muito do Rialto Hotel e do Carlton Plaza Hotel. Em Vancouver selecionei as melhores opções na Granville Street e Robson Street.

  Já contratou o seguro de viagem? Viajar com seguro é essencial! O buscador Seguros Promo é parceiro do blog e oferece 5% de desconto para leitores, além de parcelar em até 12x no cartão. Se tiver alguma dúvida, fale comigo!

  Você consegue viajar sem celular? Não deixe de sair do Brasil já com o seu chip de celular com internet! Se tiver alguma dúvida, entre em contato comigo.

  Para alugar carro no Canadá pelo menor preço pesquise em todas as locadoras de uma só vez através da Rent Cars. Eles possuem escritório no Brasil com atendimento em português e dividem em até 12x no cartão ou com desconto no boleto.


Sobre

Sou mineiro de Belo Horizonte, onde nasci e moro. Sou jornalista, trabalhei com assessoria de comunicação e fui repórter de turismo. Nem toda viagem é trabalho, mas depois do blog todo trabalho virou viagem! Sou @rodeiviagens no Insta.


'Rodei em Victoria, British Columbia' têm 7 comentários

  1. 3 de julho de 2015 @ 15:58 Isac

    gostei muito seu blog . Descobri por acaso quando pesquisava no Google sobre Victoria . Parabens !
    Estou organizando uma viagem para O Canada . E tenho algum as duvidas :
    1. Adoro Jardins . Estou ansioso para conhecer Butchard
    Gardens . Nao vi nenhuma referencia sua a respeito.
    2. Vale a pena alugar um carro em Victoria ? Pretendo passar la 3 Dias.
    3. Um amigo meu me contou que a viagem de ferry incluindo todos os deslocamentos e muito longa para quem tem pouco tempo . Sera Melhor pegar um boo da AC ou o Air Sea Planes ?
    Obrigado

    Responder

  2. 5 de abril de 2015 @ 18:19 Tatiana

    Olá! Tudo bem com você?
    Gostei muito do blog, super didático e com as informações que precisamos saber! Parabéns!
    Fiquei com dúvida acerca da viagem de barco. Vou pegar um ônibus às 5 da matina de downtown Vancouver e pretendo chegar ao terminal de “Tuóssan” às 6h30 (contando com 1h30 de viagem). Bom, minha dúvida é: andei lendo no site do BC Ferries que precisamos chegar 45minutes antes de partir. É isso mesmo? Achei tanto tempo! Sendo assim, vou ter que sair mais cedo ainda de Downtown!
    Conto com sua ajuda!
    Muito obrigada,
    Tatiana

    Responder

    • 5 de abril de 2015 @ 20:15 Thiago Khoury

      Nossa Tatiana, que pergunta difícil… Bem, acho que o seguro morreu de velho – e, não adianta: o dia é longo mesmo e não tem como fugir disso.

      Responder

      • 5 de abril de 2015 @ 20:34 Tatiana

        Eu acho que não entendi/vi tua resposta. Heheh! Temos que chegar muito antes ao ferry ou não?

        Responder

        • 5 de abril de 2015 @ 21:05 Thiago Khoury

          Hahaha, desculpa: eu acho que sim, o seguro morreu de velho, acho que vale a pena chegar com antecedência, principalmente se você vai chegar no porto de transporte público.

          Responder

  3. 14 de setembro de 2013 @ 12:13 Sebastião Haroldo Corrêa Porto

    Informações preciosas sobre Victoria encontrei aqui, num texto claro, objetivo e muito bem escrito. Obrigado pelas informações e parabéns!

    Responder

  4. 28 de março de 2011 @ 9:29 Douglas Luz

    De volta! \o/
    Esses posts sobre o Canadá têm tido mais atenção da minha parte. Realmente muito bons (pra variar).

    Acompanhando aqui. Manda a ver, Thiago!
    Abraço,

    Responder


Gostaria de deixar um comentário?

Seu endereço de email não será publicado.

*

Rodei Viagens 2010 - 2018. Todos os direitos reservados. Colabore com o blog! | Orgulhosamente hosted pelo DreamHost