Os principais bairros de Toronto

Atualizado em

Toronto é uma capital multicultural com todo tipo de gente. E como cada cidade é um fiel retrato de quem vive nela, Toronto é um álbum completo: cada bairro possui seu clima, com pessoas, atrações e arquitetura muito diferentes.

Antes de passar pelas regiões mais populares da cidade, temos que primeiro dividi-la em norte, sul, leste e oeste de acordo com as duas principais linhas de metrô.

Leia mais para saber o basicão de Toronto:

Perguntas essenciais sobre o Canadá

Para começar a rodar em Toronto

Dicas de hospedagem em Toronto

Roteiro de cinco dias em Toronto

+ Qual o melhor seguro de viagem para o Canadá?

A linha Yonge-University-Spadina, também chamada de linha amarela, cruza parte da cidade de norte a sul. Ela não só chega à estação de trens Union, sua parte mais ao sul do mapa, como faz um movimento curvilíneo e retorna ao norte passando pela Spadina, paralela a Yonge.

Por isso, lembre-se: se você deseja parar em qualquer ponto das paralelas Yonge Street e Spadina Avenue, ou descer na perpendicular Front Street, a melhor pedida é a linha amarela.

A linha Bloor-Danforth, também chamada de linha verde, cruza parte da cidade de leste a oeste e, claro, passa pela linha amarela em dois pontos. Um deles, a estação Bloor-Yonge, é o centro exato do mapa que divide a cidade em norte, sul, leste e oeste.

As linhas azul e roxa, Scarborough RT e Sheppard, respectivamente, são linhas auxiliares que você provavelmente não irá utilizar.

Lembre-se também que em Toronto as pessoas tendem a trabalhar e visitar o sul da cidade  – esse, na verdade, é um sintoma canadense: 70% do país são de terras inabitadas que começam na região central e sobem em direção ao norte; assim, em sua viagem, você provavelmente se restringirá ao hipercentro da cidade, permanecendo nos limites de downtown na maior parte do tempo.

Os principais bairros de Toronto

Bloor-Yorkville

Yorkville já foi considerada parte dos subúrbios de Toronto, onde as pessoas eram pacatas e viviam bem próximas da “cidade grande” – os bichos-grilos da década de 1960, fundadores do movimento hippie canadense. Aos poucos a região foi crescendo e se tornando uma das mais caras do continente americano e a mais exclusivista do Canadá, frequentada por jovens com alto poder de compra.

Entre Bloor e Davenport, ao sul e ao norte, Yonge e Avenue, ao leste e oeste, Yorkville possui lojas famosas para os mais endinheirados e fast-fashion para nós, meros mortais. Os restaurantes são deliciosos, tornando o trabalho de escolher entre eles um processo de tentativa e erro sem muitas chances de dar errado.

O que rola na região: é aqui que os famosos se encontram durante o Toronto International Film Festival. Além de restaurantes, bares e lounges, existem hotéis famosos como o Four Seasons Toronto. O Yorkville Park também é bem legal de se visitar, com belos jardins super bem distribuídos que entram em harmonia com a arquitetura futurista do lugar – é madeira, é aço, é água…

É na Bloor que encontramos lojas como Bulgari, Burberry, Calvin Klein, Cartier, Chanel, Coach, Cole Haan, Gucci, Hermès, Hugo Boss, Lacoste, Louis Vuitton, Max Mara, Prada e Vera Wang, além das gigantes The Bay e Holt Renfrew.

Encontramos também as populares Aldo, American Apparel, Banana Republic, French Connection, Gap, Guess, H&M, Nike, Puma, Sephora e Zara, além das canadenses, que você não pode deixar de conhecer, Aritzia, Club Monaco, Lululemon e Roots.

The Annex

The Annex é oficialmente a região que possui Yorkville dentro de seus limites. Como ambas as regiões cresceram em popularidade, The Annex agora é aquilo que está ao lado esquerdo de Yorkville, entre as ruas Dupont e Bloor, norte e sul, Avenue e Bathurst, leste e oeste.

Por estar bem próxima da Universidade de Toronto, é uma região predominantemente estudantil, com muitos bares, livrarias, residências e fraternidades. É um lugar interessante para passear fotografando, principalmente durante o período letivo, mas não é muito turístico.

O que rola na região: é bacana conhecer e fotografar a arquitetura das casas e fraternidades estudantis, além de conhecer a lendária Honest Ed’s, uma enorme loja com bugigangas bem baratas. Koreantown também faz parte do bairro, mas é claro que você não precisa passear ali.

Downtown Yonge

Yonge não é avenida, é rua, e durante muito tempo foi considerada a maior do mundo. Os quarteirões entre a College e a Queen são chamados de Downtown Yonge, mas a parte mais balada é quando ela cruza com a Dundas e forma um quarteirão em formato de praça chamada Yonge-Dundas Square, um espaço iluminado, com bares, restaurantes e o maior shopping do país, um ambiente perfeito para o turismo com clima de Times Square.

É onde estão minhas dicas de hospedagem, incluindo o Pantages e o Bond, dois lugares incríveis para ficar em Toronto.

O que rola na região: Eaton Centre, um shopping com mais de 230 lojas, considerado a atração mais visitada do país. Rolam também lojas, restaurantes, bares e algumas opções de hospedagem nas imediações. Você irá passar por ali várias vezes durante a sua viagem.

Importante: a Virgin Mobile é uma mega parceira da prefeitura e realiza vários eventos em Yonge-Dundas Square semanalmente. Confira no site quando irá rolar a próxima sessão de cinema, apresentação circense ou de bandas locais.

Entertainment District

O distrito badalado com as casas de espetáculo que recebem as grandes produções é menos centralizado do que você espera. Para caminhar em Entertainment District, sugiro um passeio pela King Street West, principalmente os quarteirões entre as ruas John e York, mas lembre-se que o bairro estende-se três quarteirões acima e alguns quarteirões abaixo, em direção ao porto.

Para comer existem opções sofisticadas e comida rápida, além de vários restaurantes com comida internacional – é onde comemos comida indiana, grega e tailandesa com requinte de comida francesa. Prepare o bolso.

Também rolam baladas por aqui, mas por serem bem mais acessíveis do que as de Yorkville, você tem mais chances de errar o dia certo de estar ali. Os clubes aqui são grandes e oferecem vários ambientes – o que é legal: no caso de uma furada homérica, procure o lounge para beber em um ambiente mais tranquilo.

Comece suas buscas pelos bares e baladas das ruas Adelaide e Pear. Conheça também o pub irlandês Grace O’Malley’s, na Duncan.

O que rola na região: descendo o distrito dos teatros em direção ao porto você chegará a uma das mais altas torres do mundo e a segunda atração mais popular da cidade, CN Tower. Bem ao lado está a arena Rogers Centre, onde rolam tanto jogos quantos shows.

Outras atrações: Air Canada Centre, Canada’s Walk of Fame, Canadian Opera Company, Four Seasons Centre For The Performing Arts, Bell Lightbox e National Ballet of Canada.

Financial District

Ao lado de Entertainment Distric e embaixo de Nathan Phillip Square, a praça da prefeitura, Financial District é um pequeno centro econômico que lembra o de Nova York: muitos prédios para ver, mas muito pouco para conhecer.

É por aqui que o PATH, a cidade subterrânea, tem o maior número de conexões e atrações, ligando muitos dos prédios mais importantes por passarelas no subsolo.

Dica: caso você se hospede por ali, subindo a Front em direção a York você encontrará um miolinho com ótimos restaurantes.

Queen West

A Yonge divide a Queen em leste e oeste, mas a real diferença entre elas é cultural e não geográfica: o lado oeste da Queen, depois da estação Osgoode, é uma Yorkville mais jovem e menos endinheirada, mais pop e menos badalada. As marcas mais jovens se estabeleceram aqui, veja no filminho aqui embaixo.

Queen West é famosa pelos estúdios de televisão, pelas lojas de marcas populares, pela cultura vintage e pelos estúdios de tatuagem.

The Beach

A principal rua de The Beach é o outro lado da Queen, que é chamada de Queen Street – mas você sabe que, na verdade, é Queen East. Uma rua tranquila com ótimas opções de restaurantes, bares e cafés. Quarteirões nada turísticos onde os locais saem para passear com o cachorro ou levar as crianças para tomar sorvete. O clima é surpreendentemente praiano, passa longe do vuco-vuco que é Toronto.

E para quem está atrás da “beach” propriamente dita, pode começar passeando pelos três quilômetros de orla em passarelas de madeira, mas acredito que o melhor da região continua sendo a Queen Street – pegar praia é mais divertido em Toronto Islands, mas em nenhum lugar espere beleza natural ou águas cristalinas.

Old Town Toronto

É na cidade velha que você encontra duas regiões fantásticas para conhecer: St. Lawrence Market e Historic Distillery District. O primeiro é um mercado com dezenas de barracas oferecendo produtos regionais, um local histórico que acredita-se ser o berço de Toronto. O segundo, um pouco mais a frente, é um centro de gastronomia e compras que se parece com Covent Garden, em Londres, onde as pessoas caminham sem carros em um ambiente quase bucólico.

Distillery District é um lugar que vale um passeio durante o dia e outro durante a noite. São várias galerias, lojas, padarias e cafés que lembram os de Paris. Se tornou um centro cultural muito visitado e um passeio bem agradável.

Waterfront

É a região do porto que vem logo embaixo de downtown, o lugar onde você vai para se divertir em Ontario Place, andar por Queen’s Quay ou pegar os ferrys para Toronto Islands.

O que rola na região: além do tão falado Harbourfront Centre, temos também o parque HTO; um trecho de areia com sombrinhas e espreguiçadeiras, o parque Ireland; um grande gramado com esculturas humanas em tamanho real, e, o meu predileto, Music Garden, que foi projetado como uma interpretação do primeiro prelúdio de Bach.

Kensington Market

Colado em Chinatown, Kensington é uma loucura: ruas estreitas se misturam e se embaralham, oferecendo de tudo um pouco e de todas as partes do mundo. Muitos brechós, muitos artigos musicais e muita cultura asiática, latina e do leste europeu. É como visitar Portobello Market, em Londres, porém com uma confusa Chinatown ao lado.

Outras dicas do blog para programar a sua viagem:

  Já sabe onde ficar em Toronto? Selecionei os melhores hotéis nos arredores das praças Yonge-Dundas Square e Nathan Phillips Square. Já fiquei no Pantages e recomendo, a localização é perfeita!

  Já contratou o seguro de viagem? Viajar com seguro é essencial! O buscador Seguros Promo é parceiro do blog e oferece até 10% de desconto para nossos leitores, além de parcelar em até 12x no cartão. Se tiver alguma dúvida, fale comigo!

  Você consegue viajar sem celular? Não deixe de sair do Brasil já com o seu chip internacional com internet boa de verdade! Aplique o cupom exclusivo RODEI10 e leve 10% de desconto – se tiver alguma dúvida, entre em contato comigo.

  Para alugar carro no Canadá pelo menor preço pesquise em todas as locadoras de uma só vez através da Rent Cars. Eles possuem escritório no Brasil com atendimento em português e dividem em até 12x no cartão ou com desconto no boleto.


Sobre

Sou mineiro de Belo Horizonte, onde nasci e moro. Nem toda viagem é trabalho, mas depois do blog todo trabalho virou viagem! Se quiser receber os últimos posts do blog e minhas dicas no WhatsApp é só adicionar (31) 98263.3937 aos seus contatos e mandar um "alô" para ativar o robô do blog!


'Os principais bairros de Toronto' não tem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Gostaria de deixar um comentário?

Seu endereço de email não será publicado.

*

Rodei Viagens 2010 - 2019. Todos os direitos reservados. Colabore com o blog! | Orgulhosamente hosted pelo DreamHost