Epcot International Food and Wine Festival

Outubro continua sendo uma das melhores épocas para visitar Orlando. Só não é melhor porque (a) o calor não tem deixado nada a desejar com relação ao calor de julho e, (b) a decoração de fim de ano é incrível, principalmente para quem está indo pela primeira vez.

O que faz com que o outono nos parques concorra em pé de igualdade com o inverno é o Halloween de Universal e o Food and Wine Festival de Epcot.

Epcot International Food and Wine Festival

Eu amo comida, amo vinho e amo barraquinha. Junte tudo isso ao fato de amar Disney que o resultado é um post cheio de fotos gostosas acompanhadas de isso é muito bom em quase todas as legendas.

Epcot-20-Food-and-Wine

Barraquinha do Brasil na edição de 2013

Desde a sua primeira edição em 1995 o Epcot International Food and Wine Festival é o maior evento gastronômico de Orlando. Eu tive a oportunidade de ir em duas edições seguidas e posso dizer sem medo de estar sendo influenciado pela minha opinião contaminada que, esse ano, o festival sambou: foi mais organizado, mais gostoso e mais barato.

No ano passado as barraquinhas estavam muito mal posicionadas: a do Brasil ficava em uma área de enorme circulação na entrada do pavilhão do México, com o sol escaldante marcando presença durante a maior parte do dia. Isso para não mencionar o tamanho da barraquinha e a escolha dos pratos, que eram todos horríveis.

Epcot-21-Food-and-Wine

No ano passado o prato principal da barraquinha do Brasil era… Vieira. Juro, vieira!

O stand do Brasil é sempre um dos mais aguardados: primeiro porque americano tem uma ideia romântica sobre a nossa cultura que geralmente atrai curiosos, depois porque outubro é uma época tradicional entre clientes de agências brasileiras, tende a perder para as férias de julho apenas.

DSC04716

Já a barraca desse ano era uma das que conseguia receber mais gente ao mesmo tempo, além de comportar filas maiores

Esse ano eles colocaram o Brasil em uma posição privilegiada e aumentaram o tamanho da barraca, que acabou se tornando uma das poucas com sombra e espaço para comer sentado. Visivelmente era uma das três mais disputadas do Festival.

DSC04717

Esse ano as comidas foram bem mais gostosas. Na verdade eu não sei dizer se elas foram mais gostosas ou se foram mais fáceis de serem apreciadas: não tinha nada muito rebuscado, pelo contrário, os países serviram aquilo que a gente imagina ser a culinária típica de cada um deles.

E para agradar não tem nada mais fácil do que saciar a expectativa que trazemos com a gente. Se é pão de queijo que eles querem, é pão de queijo que eles terão!

DSC04721

O menu do Brasil: não experimentei a cocada :(

O preço também caiu: lembro que ano passado era impossível comer por menos de sete ou oito dólares, mas esse ano a quantidade de opções por menos de cinco dólares aumentou consideravelmente, e geralmente os pratos principais eram os mais baratos.

O prato principal é aquele que nunca acaba, é o cargo-chefe da barraca que geralmente é patrocinada por alguma empresa.

DSC04726

Esse ano o prato principal também veio do mar: moqueca de tilápia com arroz branco. Estava delicioso, dei todas as estrelinhas possíveis: tempero suave, arroz soltinho e nem sinal de azeitona.

DSC04725

Depois do pão de queijo do aeroporto de Guarulhos esse foi um dos mais caro que já comi, mas também um dos mais gostosos: os amigos que moram em Orlando disseram que era Forno de Minas, mas até que alguém confirme são só boatos.

O que sempre faço é carregar alguém comigo pelo Festival, assim consigo dividir as porções e experimentar um número maior de comidas diferentes – mas o que muita gente faz é pegar um desses passaportes disponíveis pelo parque e escolher o quanto antes aquilo que quer conhecer, mas sou do time dos que preferem ir caminhando e escolhendo ao longo do caminho.

DSC04728

O famoso restaurante do pavilhão do Canadá, Le Cellier, fez um dos pratos mais famosos do Festival: filé mignon com molho de manteiga trufada e cogumelos frescos. Por U$ 7,25 custou quase o dobro da moqueca brasileira.

DSC04734

Eu queria ter gostado mais dessa empanada da barraca da Patagônia: empanada de carne, frita na hora. O preço era legal por um pastel tão grande, U$ 4,50.

DSC04737

Pausa na comilança para apreciar o pôr do sol em Epcot

Pronto, podemos continuar:

Uma das coisas que adorei conhecer foi o Festival Center no antigo Wonders of Life, bem pertinho do Mission Space. Esse ano o espaço funcionou como um centro de palestras, aulas e debates. Muita gente foi convidada a cozinhar ao vivo e muita gente comprou mais de 50 rótulos diferentes de vinhos que geralmente não são vendidos no parque.

DSC04663

No Festival desse ano, o maior dos últimos dezenove, diga-se de passagem, com mais de 50 dias de evento, serão vendidas mais de 100 mil sobremesas, 350 mil copos de cerveja, 300 mil taças de vinho e 1,5 milhão de pratos no estilo porção, ou tapas-size para os americanos.

Tenho duas dicas para dar: se você é como eu e está ali para comer, vale comprar essa pulseirinha que funciona como gift card, assim você deposita um valor aproximado do quanto pretende gastar e não precisa ficar mexendo na carteira toda vez que decide experimentar algo.

Epcot-63-Food-and-Wine

Dica número dois: tenha paciência, você enfrentará filas.

Durante o Festival são esperados visitantes de pelo menos 25 nacionalidades diferentes, o parque estará lotado e com dezenas de grupos de… americanos. Sim, durante o Food and Wine é muito comum ver verdadeiras excursões de marmanjos uniformizados bebendo em cada uma das barracas.

Epcot-57-Food-and-Wine

Como o Food and Wine é um evento que acontece ao longo do horário regular de funcionamento do parque você não precisa pagar a mais por ele que já faz parte do ingresso que dá acesso a Epcot.

Como todas as barracas ficam em World Showcase, a metade do parque destinada aos países, você pode escolher gastar ou não o seu dinheiro passeando por elas: tem gente que restringe o seu dia as atrações de Future World e sequer passa pelas barracas.

O que é um pecado, né?

 Epcot International Food and Wine Festival

Em Epcot, todos os anos entre setembro e novembro

Outras dicas do blog para programar a sua viagem:

  Já sabe onde ficar em Orlando? Fiz uma lista de opções nos arredores da Disney. Leia também todas as minhas experiências relacionadas a hospedagem em Orlando.

  Já contratou o seguro de viagem? Seguro é essencial nos Estados Unidos! O buscador Seguros Promo é parceiro do blog e oferece 5% de desconto para leitores, além de parcelar em até 12x no cartão. Se tiver alguma dúvida, fale comigo!

  Você consegue viajar sem celular? Não deixe de sair do Brasil já com o seu chip de celular americano com internet ilimitada – o frete é por minha conta! Se tiver alguma dúvida, entre em contato comigo.

  Para alugar carro na Flórida pelo menor preço pesquise em todas as locadoras de uma só vez através da Rent Cars. Eles possuem escritório no Brasil com atendimento em português e dividem em até 12x no cartão ou com desconto no boleto.


Sobre

Sou mineiro de Belo Horizonte, onde nasci e moro. Sou jornalista, trabalhei com assessoria de comunicação e fui repórter de turismo. Nem toda viagem é trabalho, mas depois do blog todo trabalho virou viagem! Sou @rodeiviagens no Insta.


'Epcot International Food and Wine Festival' tem 1 comentário

  1. 28 de novembro de 2014 @ 23:51 Epcot Food & Wine Festival: gastronomia na Disney

    […] O Thiago do blog Rodei também acabou de voltar de lá e contou das suas comilanças neste post. […]

    Responder


Gostaria de deixar um comentário?

Seu endereço de email não será publicado.

*

Rodei Viagens 2010 - 2018. Todos os direitos reservados. Colabore com o blog! | Orgulhosamente hosted pelo DreamHost