20 dicas para ficar craque no metrô de Nova York

Atualizado em 14 de novembro de 2019 por Thiago Khoury

O metrô de Nova York é quase um personagem da cidade, não tem como deixar de conhecê-lo se você é minimamente urbano e curte se deslocar em menos tempo e pelo menor preço.

É engraçado como ele faz parte de dois mundos muito próximos e tão distantes: não tem morador que não reclame e não tem turista que não ache incrível a ideia de atravessar a cidade passando por baixo dela.

Essas são as minhas dicas para tirar o metrô de Nova York de letra e começar a entrar e sair de estações como um local, mas antes preciso deixar duas dicas essenciais para quem está planejando sua primeira viagem a Nova York:

Qual seguro de viagem fazer para os Estados Unidos?

Qual o melhor chip de viagem para os Estados Unidos?

Metrô em Nova York: como usar

(1) O metrô de Nova York é o meio de transporte mais usado por turistas e locais, ele funciona 24h por dia, sete dias por semana e, sim, é extremamente seguro – mas pode ficar bem cheio nos horários de pico, que são praticamente os mesmos em todo o mundo.

(2) As estações de metrô seguem o mesmo padrão, não importa em que borough você esteja: elas te levam para o subterrâneo e mostram logo na entrada quais linhas passam ali, em qual sentido elas vão e se é possível comprar um passe naquela estação ou não.

(3) Se você está entrando em uma estação que não deixa claro o sentido da linha é porque ela é grande e lá embaixo as plataformas possuem dois lados para que os trens passem em ambas as direções, mas geralmente as estações são para uma única direção: Uptown (Norte) e Downtown (Sul).

Metrô de Nova York

Essa é a entrada de uma estação enorme (a mais movimentada da cidade, diga-se de passagem), sem indicação de sentido de trens na entrada – então você já sabe que lá dentro existem plataformas com trens para ambas as direções

(4) Por isso, ao entrar em uma estação menor, certifique-se ter escolhido a estação correta – depois de passar o cartão ele é cobrado e o valor não pode ser ressarcido! Digamos que você esteja na 14th Street e deseje ir para a 26th Street, em qual direção o seu trem deve ir? Para cima, em direção ao norte. Entre então em uma estação com trens em direção a Uptown, sabendo que a estação com trens para Downtown provavelmente estará na calçada oposta daquele mesmo quarteirão.

(5) Quando a gente está em Manhattan é bom ter noção de onde os outros boroughs estão: se uma linha segue em direção ao Brooklyn ela está indo para o sul, ou Downtown. Se uma linha vai para o Queens, ou Bronx, ela está indo para o norte, ou Uptown.

(6) Se você não sabe exatamente qual linha pegar imagine que para ir para o sul qualquer trem em direção a Downtown pode ser útil. O mesmo para quem quer ir para o norte: basta pegar uma linha em direção a Uptown (ou para o Queens, ou Bronx).

(7) Existe também o meio do mapa, nem para cima e nem para baixo: estamos falando de Midtown, que é a região central da ilha de Manhattan. A parte mais famosa de Midtown é Times Square e várias linhas passam por lá.

(8) É possível sair de Manhattan e ir em direção ao Queens, Brooklyn e Bronx, mas para Staten Island você precisa pegar o ferry gratuito e continuo que sai da estação Whitehall, no início da linha 1.

(9) Existem algumas linhas que depois de decoradas tudo fica bem mais fácil: para quem se hospeda do lado esquerdo do mapa, as linhas 1, 2, e 3, A, C e E serão usadas com maior frequência – aliás, as linhas 1 e 2 ajudam, e muito!, todo marinheiro de primeira viagem em Nova York.

(10) Para quem se hospeda do lado direito do mapa, as linhas 4, 5 e 6 serão as mais usadas. Outra dica: as linhas N, Q e R levam para o lado esquerdo do mapa – ou para o lado direito, depende de onde você está.

Importante: para atravessar o mapa do lado direito para o esquerdo ou vice-versa, a melhor forma é de ônibus.

(11) Desde que você não saia de uma estação passando pela catraca e entre em outra passando por outra catraca paga-se uma única vez, independente do quão longe você vai – mesmo fazendo transferência para uma linha de ônibus, ou mudando de borough, ou permanecendo em uma mesma linha por mais de uma hora, não importa, o preço é o mesmo.

(12) Fazer transferência para um ônibus e seguir viagem, ou o inverso, é gratuito desde que em, no máximo, duas horas depois de utilizado o passe pela primeira vez.

Metrô de Nova York

Essa e a imagem de destaque por Mario Cuitiño/Flickr

(13) É muito comum andar na cidade, mas também é muito comum encontrar uma estação sempre que se precisa: geralmente a gente encontra uma estação da mesma linha a menos de oito quarteirões da outra, assim é possível andar tendo uma noção de onde é possível pegar o próximo trem.

(14) Existem ótimos aplicativos gratuitos para planejar um passeio usando o metrô de Nova York, mas o que eu realmente uso é o Google Maps: coloco os pontos de partida e destino, marco minha preferência pelo transporte público e, pronto, ele me diz exatamente o que fazer, onde pegar e onde descer. Outra dica é esse app, oficial da prefeitura e pode ser usado mesmo sem acesso a internet.

(15) Bem, vamos para a parte financeira do assunto: o primeiro passo é comprar um passe que é vendido como cartão. Existem três tipos de passe: o passe pré-pago com o valor de sua escolha, o passe de uso único e o ilimitado (de sete dias por 33 dólares ou trinta dias por 127 dólares).

(16) O passe de uso único custa 3 dólares e só em vendido em guichês automáticos. Ele deve ser usado em até duas horas e não permite nenhum tipo de transferência. É o melhor para quem irá usar o metrô apenas uma ou duas vezes na viagem.

(17) (atualização: desde abril de 2019 já não existe bônus, então desconsidere a dica número 17) Com o passe pré-pago você carrega um cartão com o valor que deseja (mínimo de 5,50 dólares) e cada viagem passa a custar 2,75 dólares – lembrando que existe a taxa de um dólar para cada novo cartão, ou seja, todo novo cartão custará, no mínimo, 6,50 dólares. É o melhor para quem irá usar o metrô entre 3 e 11 vezes.

(18) Na minha opinião o passe ilimitado é a melhor escolha. Para quem quer economizar e está preparado para usar o metrô de Nova York é impossível fazer um mau negócio comprando o ilimitado de sete dias: por 33 dólares você usa e abusa do metrô, o que não é nem um pouco complicado em uma semana de viagem – eu nunca usei o metrô de Nova York menos de quatro vezes por dia em uma viagem.

(19) O cartão ilimitado só pode ser usado uma vez a cada 18 minutos, mas o cartão pré-pago pode ser usado até quatro vezes seguidas em uma mesma catraca. Por isso, se você está viajando com família ou amigos, pode pré-carregar um único cartão.

(20) (atualização: como desde abril de 2019 já não existe bônus, desconsidere a dica número 20) Dica para econômicos que gostam de minimizar os seu gastos: vamos supor que você não irá precisar de um passe ilimitado e optou por um passe pré-pago. Eu disse anteriormente que a partir da décima segunda viagem vale mais comprar um passe ilimitado logo de uma vez, mas existe uma situação especial para quem pretende usar o metrô entre três e onze viagens.

MTA

Metrô de Nova York: tela de compra de passe

Bem, eis uma informação nova: o sistema dá 11% de bônus a cada U$ 5,50 gastos, que é o valor mínimo para adquirir um passe pré-pago. Como você pode ver, o sistema oferece umas teclas de atalho com os valores mais comuns para quem quer ser o mais prático possível ao comprar um pré-pago – o problema é que ao escolhê-los você irá acabar perdendo o bônus, porque o saldo que irá sobrar no cartão não será suficiente para fazer uma nova viagem.

Para evitar essa sobra minha dica é escolher a penúltima sugestão do sistema (U$ 27,25) para que você tenha, na verdade, U$ 30,25, o suficiente para fazer exatamente 11 viagens – ou faça a matemática e escolha um valor quebrado, como U$ 19,85, que com 11% de bônus irá dar exatamente 8 viagens, sem nenhum desperdício de bônus.

Salvar

Salvar

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

*