Sobre a arte de atravessar ruas e avenidas em Roma

Atualizado em 27 de novembro de 2017 por Thiago Khoury

[Isso é uma crônica, pessoal!]

Trânsito caótico e os mais apressados motoristas esperam por você em Roma – e por um déficit de apenas 100 mil veículos, todos os dois milhões e meio de romanos teriam um carro cada, fazendo da capital italiana a com o maior número de veículos per capita de toda a Europa (e a medida que esse texto envelhece a situação complica cada vez mais).

Bem, o pior vem agora: os carros de Roma não serão seu maior problema – basta ter 15 anos para adquirir e dirigir a sua própria motocicleta.

Saiba que a preferência é sempre do motorista e ele não pretende abrir mão dela. Nada de pisar na faixa de pedestres e esperar que os carros parem, principalmente se você tiver aquela cara de turista despreparado.

Por isso, faça como os romanos: para atravessar uma via, vá confiante e transpareça isso em cada movimento. Mire em um ponto fixo na calçada oposta e atravesse sem olhar para os lados. Nada de diminuir o ritmo ou tampar o rosto com as mãos: cabeça erguida, tronco para frente e passadas rápidas, mas não desesperadas – eles são como leões, farejam o medo alheio mesmo com o ar ligado e os vidros fechados.

Claro que você pode treinar com alguns locais antes de se atirar no primeiro cruzamento. Assim que um italiano estiver prestes a atravessar, siga-o em dois ou três cruzamentos até adquirir confiança – a Via del Corso é ótima para praticar.

Lembre-se: o lance é atravessar como se você realmente soubesse o que está fazendo.

Vai que é tua!

8 comentários sobre “Sobre a arte de atravessar ruas e avenidas em Roma

  1. Olá, estivem em Roma no mês passado, e antes de ir li estpost e fui com o espirito preparado (hehehe), mas parece que as coisas mudaram muito, pois sempre que precisei atravessar a rua os carros pararam, mesmo fora da faixa de pedestre (nem todos os lugares tem uma!).
    Realmente em Roma há alguma falta de educação, mas não para com os pedestres.

  2. oi ^^ estive na Itália (inclusive em Roma, hehe) há umas 2 semanas e achei incrível como eles são educados com relação ao pedestre atravessar! aconteceu várias vezes (não só comigo, vi com váárias pessoas!) de alguém chegar perto da rua e os carros pararem até nas curvas pras pessoas atravessarem! realmente em Roma é mais caótico, mas pelo menos em Milão e nas cidades menores os motoristas paravam sim! foram poucos os que não pararam…
    mas tbm, lá é assim: se você estiver atravessando num lugar com semáforo e ele estiver vermelho pra pedestres, você não pode atravessar pq além do risco de levar uma multa, eles ainda xingam muito! hehehe
    adorei o blog!
    beijãão ^^

  3. Imagino q esteja falando das estações tubo daqui né Tiago?! Rs.
    É tudo muito fácil, várias opções pra qualquer lugar e com poucas possibilidades de erros.

    Tou acostumado a pegar ônibus aqui já, mas confesso q o trânsito precisa dar uma desafogada. Meio q urgente até!
    Abs!

  4. Muito bom e oportuno este post, pq aqui no Brasil não é tão diferente, na minha cidade os idosos não atravessam mais as ruas, sem um acompanhante, pq muitos morem mesmo!
    O que tem de motoqueiro já dá pra fazer um treino e tanto. Europa é café pequeno. Valeu, é sempre bom aprender “o pulo do gato” dos outros !

  5. Fala, Thiago

    Impressionante como nessas horas os países de primeiro mundo são semelhantes aos em desenvolvimento! Rs. Trânsito é uma coisa realmente complicada.
    Aqui em Curitiba já se nota o reflexo da lotação de veículos. Algumas manobras do tipo “segue um ponto fixo e vai que é tua” têm sido frequentes.

    Se o metrô vingar aqui para a Copa, será um alívio de certa forma. Será mais uma alternativa de deslocamento.

    Abraço,

    Douglas

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

*