O que fazer em uma parada de navio em Cozumel

Cozumel no México foi a primeira parada que fizemos em nosso cruzeiro de sete dias pelo Caribe. Todo mundo sabe que esse foi o meu primeiro cruzeiro, mas hoje vim falar de outra primeira vez: Cozumel foi a minha primeira parada em um “port of call”, eu ainda não sabia como esses pitstops funcionavam.

+ 21 coisas que eu não sabia sobre cruzeiros

+ Como é fazer um cruzeiro da Disney

O Disney Fantasy e o Norwegian Jade parados lado a lado no porto de Cozumel

Depois paramos também em Grand Cayman e Castaway Cay, a ilha da Disney nas Bahamas. O legal de ter começado por Cozumel é que as paradas foram melhorando de forma exponencial e crescente: não que Cozumel não seja legal, mas Bahamas e Ilhas Cayman são de outro mundo.

+ Castaway Cay: a ilha privativa da Disney nas Bahamas

Só assim para ver o navio bem de perto

A primeira coisa que percebi tendo parado primeiro em Cozumel é que a gente desembarcou caminhando, sem ajuda de botes. Fui logo pensando que esse era o modus operandi padrão, mas foi só chegar em Grand Cayman que descobri que não existe nenhum padrão: é possível descer do navio caminhando ou com a ajuda de botes, cada porto oferece uma ou mais formas de desembarque.

Passando pelo portal de imigração “Punta Langosta” em Cozumel

Outra coisa que percebi é que meus anos de experiência pesquisando tim tim por tim tim o que fazer em um novo destino foram por água abaixo: conhecer um destino viajando para ele é uma coisa, mas conhecer um destino em uma parada de navio é outra completamente diferente.

Foi estranho não quebrar a cabeça pesquisando informações e tentando entender como funciona o turismo local ou o transporte público: para conhecer um destino em uma parada de navio a gente encontra uma dica e segue firme com ela sem olhar para trás.

Plaza La Fiesta, o comércio local de Punta Langosta

Diferente de uma viagem tradicional onde a gente tem tempo para explorar e modificar o roteiro a medida que ele vai sendo cumprido, em um pitstop de port of call a gente tem que ser muito prático e dinâmico: a dica é pesquisar e escolher um passeio que você gostaria de fazer e fazê-lo, até porque geralmente não se tem tempo para arrependimento e mudança de planos.

Na saída de Punta Langosta aparecem as vans para até oito passageiros e a tabela de preços

Em cidades portos de parada onde as praias são os maiores atrativos o mais comum é escolher a que parece melhor e ir. Simples assim. Em Cozumel existe esse serviço de vans logo na saída do porto que leva o pessoal para os destinos mais comuns.

Lembrando que a gente escolhe aquilo que é mais prático e dinâmico, caso contrário o tempo que já é curto fica menor ainda: claro que se chega de transporte público em todas as praias e beach clubes, mas não se esqueça que uma hora o navio zarpa independente de onde você esteja (e o meu conselho é ir “começando a ir embora” duas horas antes do horário limite para retorno).

O que fazer em uma parada de navio em Cozumel

Claudia e eu seguimos o conselho da Luciana e partimos para Paradise Beach. O quanto antes chegássemos e aproveitássemos a piscina, o mar e o parquinho flutuante melhor seria. Infelizmente parte do dia foi lindo, mas parte foi nublado.

Desafiando a lógica teve sol na piscina e nuvem no mar em vários momentos do dia!

Olha que lindo o beach club de Paradise Beach:

Piscina de frente para o mar com bar molhado

Os garçons atendem na praia, mas existe um food truck estacionado na piscina

Saindo da região da piscina e indo para o mar

E com vocês, a praia!

Existem caiaques para alugar

Esse beach club em Paradise Beach é provavelmente a opção mais barata de Cozumel: você chega de van ou da forma que parece ser mais atraente para você, entra e paga um valor simbólico para usufruir da piscina e ter acesso ao mar (regularidade latina: geralmente 3 ou 5 dólares de acordo com quem te cobra).

Depois paga um valor mínimo de consumação se quiser usufruir das espreguiçadeiras (regularidade latina: geralmente oscila entre 10 e 15 dólares por pessoa) ou paga um determinado valor, geralmente não mais de 20 dólares, para usar o parquinho flutuante.

O famoso pier de Paradise Beach

Eu andando no pier

No finalzinho do píer, olhando para a praia

O legal desse píer é que ele te leva para uma parte razoavelmente mais funda do mar de Paradise Beach. O mar é lindo e a água é transparente (claro que isso varia de acordo com o clima e a época do ano), mas na parte mais rasa do mar você pode ter o azar de pegar muito alga, o que inconvenientemente estraga um pouco da magia do lugar.

Quando eu cheguei do mar Claudia e Luciana já tinham pedido essas belezuras aqui:

Depois voltei para o mar porque sou mineiro e não é um apocalipse caribenho que vai me atrapalhar:

Bom, essa é a minha dica do que fazer em Cozumel. Foi um passeio delicioso, além de barato e prático. Queria que o dia estivesse mais bonito, mas depois de pegar aquele azul indecente no céu e no mar de Castaway Cay não se pode reclamar muito.

Outras dicas do blog para programar a sua viagem:

  Já sabe onde ficar? Leia todas as minhas dicas de hospedagem e faça a sua escolha!

  Já contratou o seu seguro de viagem? Para cruzeiros eu sugiro a World Nomads que tem know how no assunto, mas você também pode usar o cupom de desconto RODEI5 na Seguros Promo e cotar entre as empresas que você já conhece.

  Você consegue viajar sem celular? Não deixe de sair do Brasil já com o seu chip de celular internacional com internet ilimitada – e que funciona nos portos! Se tiver alguma dúvida, entre em contato comigo.

  Para alugar carro no Brasil e no exterior pelo menor preço pesquise em todas as locadoras de uma só vez através da Rent Cars. Eles possuem escritório no Brasil com atendimento em português e dividem em até 12x no cartão ou com desconto no boleto.


Sobre

Sou mineiro de Belo Horizonte, onde nasci e moro. Sou jornalista, trabalhei com assessoria de comunicação e fui repórter de turismo. Nem toda viagem é trabalho, mas depois do blog todo trabalho virou viagem! Sou @rodeiviagens no Insta.


'O que fazer em uma parada de navio em Cozumel' têm 4 comentários

  1. 27 de October de 2017 @ 16:29 Juliana

    Oi Thiago, tudo bem? Gostaria de tirar algumas dúvidas com você… Quanto tempo do porto até Paradise Beach? Esses brinquedos no mar eram pagos a parte ou estão incluídos na tarifa paga para entrar? É possivel usar o seapass ou você teve que pagar tudo em dinheiro/cartao?
    Obrigada!

    Responder

    • 27 de October de 2017 @ 20:28 Thiago Khoury

      oi Juliana! Não conheço esse seapass, depois vou pesquisar sobre ele. Os brinquedos são pagos a parte, como não usei e não tentei usar só soube depois. Na ida durou uns 15 min, na volta pegamos trânsito e foi o dobro do tempo.

      Responder

      • 16 de November de 2017 @ 16:20 Juliana

        Oi Thiago, o seapass é um cartão fornecido pela RoyalCaribbean aos passageiros ( não sei se outras tb fornecem), onde ficam todas suas informações e é possível realizar compras com ele a bordo, porém li relatos de que também seria possível usa-lo em terra. Achei estranho, mas talvez seja por conta de alguma parceria, enfim… minha maior preocupação era com o tempo de percurso, mas de 15 a 30 minutos é bem tranquilo! Super obrigada por responder!

        Responder


Gostaria de deixar um comentário?

Seu endereço de email não será publicado.

*

Rodei Viagens 2010 - 2017. Todos os direitos reservados. Termos de uso e política de comentários. Colabore com o blog!