Patagônia Norte no Chile

Como conhecer a Patagônia Norte sem perrengue

Foi uma delícia receber o convite para conhecer a Patagônia Norte no Chile, mas, verdade seja dita, eu não fazia a menor ideia do que vinha pela frente.

Como o próprio nome sugere, presumi apenas que era uma viagem ao Chile, mas saindo da esfera da presunção eu sabia muito pouco sobre lá: o quão grande é a Patagônia, qual a sua divisão política?

Existe hotelaria e infraestrutura capaz de receber e escoar o turismo que chega ali? Aliás, onde exatamente é “ali”?

Com o tempo fui descobrindo que a Patagônia são muitas, e como na maior parte das vezes não cabem todas em uma mesma viagem, qualquer aventura pela região mais austral do continente americano começa na delimitação do roteiro.

O que é a Patagônia e em que país ela fica?

Patagônia é o extremo sul do continente americano, e como ela compreende territórios no Chile e na Argentina, “ir à Patagônia” não diz muito sobre a sua viagem se você não delimita exatamente por onde pretende chegar e por onde irá passar.

Carretera Austral na Patagônia Norte

Uma das várias faces da Carretera Austral na Patagônia Norte

Como disse ali em cima, minha viagem foi à Patagônia Norte, no Chile, que é provavelmente a região menos explorada da Patagônia e a mais mítica delas, tanto por ser a menos desbravada como por receber grande parte da Carretera Austral, a rodovia idealizada durante o regime militar chileno que liga Puerto Montt e Villa O’Higgins em pouco mais de 1.200 km de extensão.

O que é a Patagônia Norte no Chile?

Se me surpreendi ao descobrir que dizer “Patagônia” por si só não diz muito sobre o destino, imagina quando soube que a Patagonia chilena se divide em Norte e Sul?

É comum ouvir os gringos visitarem Punta Arenas e Torres del Paine e resumir a viagem como “um passeio à Patagônia chilena”, mas agora sei que Punta Arenas e Torres del Paine estão bem distantes da insólita beleza da Patagônia Norte, a Patagônia que conheci em seis dias de viagem.

Conhecer a Patagônia Norte é desbravar a região de Aysén que tem Coyhaique como capital passando pela mítica Carretera Austral – e isso pode ser feito com mais ou menos emoção, uma decisão que parte do espírito aventureiro e da disponibilidade de tempo de cada um.

Loberías del Sur na Patagônia Norte

O lindo Loberías del Sur em Aysén, na Patagônia Norte

Eu encarei a Patagônia Norte da forma mais turística possível: em vez de me aventurar pelas curvas sinuosas da Carretera Austral em um 4×4 alugado, me hospedei no Loberías del Sur e optei por participar do programa de passeios oferecidos pelo hotel, uma agenda que contempla todos os pontos mais famosos da Patagônia Norte para quem se hospeda ali por três, quatro, cinco, seis ou sete noites.

Como viajar pela Patagônia Norte no Chile?

Como nos passeios de banana boat no litoral paulista, uma viagem à Patagônia Norte pode ser feita com mais ou menos emoção: motociclistas, jipeiros e campistas se encantam com a ideia de cruzar a Carretera Austral (seria ela a versão latino-americana da lendária Rota 66?) sem um planejamento preciso, deixando-se levar pelas belezas que aparecem pelo caminho.

Não posso e nem tenho condições de instruí-lo a cruzar a Carretera Austral dessa forma, prefiro deixar essa tarefa para os fóruns especializados e focar no tipo de turismo que venho fazendo nos últimos anos: planejado, e sempre que é conveniente, guiado.

Sempre que um lago lindo aparece pelo caminho, prepare-se para sair da van!

O turismo guiado pela Patagônia Norte é extremamente bem-vindo para quem prefere fazer turismo do que desbravamento propriamente dito: cai como um par de luvas o sistema de passeios all-inclusive do Loberías del Sur, onde o seu único trabalho é escolher quando ir à Patagônia, o resto é usufruir das programações de uma agenda semanal cíclica.

Hospedado no Loberías, saíamos todas as manhãs de Puerto Chacabuco para diferentes passeios de um dia em vários pontos da Carretera Austral sem que precisássemos quebrar a cabeça para montar o roteiro perfeito.

Glaciar San Rafael

Nosso zodiac navegado em direção às Capillas de Marmol…

Glaciar San Rafael

… e nosso catamarã se aproximando do Glaciar San Rafael

Foi assim que conheci as famosas Capillas de Mármol no lago General Carrera, uma das coisas mais lindas que já vi na vida; a geleira de San Rafael, com seu imponente paredão com quase dois quilômetros de comprimento; as trilhas do parque Aiken, repleto de cachoeiras pelo caminho; e as deliciosas águas calientes do vulcão Macá, cercado pelos fiordes naturais formados pelas Cinco Hermanas.

Como chegar na Patagônia Norte no Chile?

O aeroporto de Balmaceda é a principal porta de entrada para uma viagem à Patagônia Norte.

Voei de Latam para o Chile e um percurso que durou a maior parte do dia: (1) saí de Belo Horizonte com destino a Guarulhos às quatro da manhã, (2) fui de Guarulhos a Santiago às 6h45 e, (3), de Santiago à Balmaceda às 13:15.

O voo de Santiago a Balmaceda dura pouco mais de duas horas. Chegamos em Balmaceda por volta das quatro da tarde. O trajeto entre o aeroporto e o Loberías del Sur dura aproximadamente duas horas, mas paramos pelo menos duas vezes pelo caminho para admirar a vista e tirar fotos.

Aeroporto de Balmaceda

O aeroporto de Balmaceda: no dia de ir embora, ele literalmente abriu apenas 45 minutos antes do meu voo

Fazer parte do programa de passeios do Loberías del Sur não engessa nenhum roteiro, pelo contrário, ele só dinamiza o roteiro proposto, o que não impede paradinhas estratégicas pela Carretera Austral sempre que uma coisa linda e inesperada aparece de repente – como o Salto del Rio Pollux e a Cascada La Virgen, duas quedas d’água inesquecíveis!

Se você se pergunta sobre as conexões do aeroporto de Balmaceda, vale dizer que ele não realiza voos internacionais, por isso as conexões mais comuns com a Patagônia Norte são as dos aeroportos de Puerto Montt (ao norte) e Punta Arenas (ao sul), além da capital Santiago.

Qual é a infraestrutura da Patagônia Norte?

Como minha amiga Mari bem disse uma vez, a “mítica Carretera Austral” é jovem para receber esse título. Ela ainda está em construção e em constante reforma, intercalando estrada de terra, pedra, asfalto e concreto a cada 30 minutos de viagem.

Fazer uma viagem à Patagônia Norte é se desconectar a maior parte do tempo: seu celular não irá funcionar sempre que deixar o hotel, a sinalização nas estradas é precária e não existe comércio por quilômetros a fio, sequer opções de hospedagem, a maior parte das vezes apenas campings e chalés.

Descobrimos (in loco, diga-se de passagem), que em alguns trechos da Carretera Austral é comum levar sete horas para percorrer apenas 300 km de estrada!

O interessante é que como hóspede do Loberías a sensação de estar no fim do mundo diminui consideravelmente. Loberías del Sur tem uma infraestrutura sem precedentes em Aysén, e sempre que partimos em nossas aventuras calculadas eles trazem um pouquinho dessa infra na van – marmitas para lanchar, água e paradinhas estratégicas pelo caminho para usar os banheiros dos locais, um acordo previamente combinado entre o hotel e eles.

Ensenada Parez

A belíssima Ensenada Perez com as águas quentes do vulcão Macá…

Aiken del Sur

… e o lago do parque Aiken del Sur

Escrevendo sobre a infra oferecida pelo Loberías lembrei de uma situação curiosa que gerou dúvidas em todos nós: como turistas comuns viajando por conta própria calculam os constantes fechamentos da Carretera Austral?

Explico: como a Carretera Austral está em constante transformação, vários pontos dela são dinamitados todos os dias para reconstrução, o que fecha o trânsito por horas em ambas as direções, o que muitas vezes nos obriga a pernoitar pelo caminho antes de retornar ao hotel.

Por último, vale lembrar a importância de viajar com um bom seguro de viagem. Aysén não é Santiago e você não tem acesso a atendimento hospitalar com a rapidez necessária que um atendimento de urgência sugere, então não deixe de viajar com um seguro de viagem que ofereça traslado médico, que é o que possibilita transferência para o hospital mais próximo capaz de atendê-lo.

Na Seguros Promo você cota vários seguros de uma só vez e consegue escolher dois ou mais para compará-los lado a lado.

Fique de olho nas opções da Assist Trip e Assist Card, duas empresas que oferecem coberturas mais generosas em caso de translado médico.

Outras dicas do blog para programar a sua viagem:

  Já sabe onde ficar na Patagônia Norte? Não existe nada parecido com Loberías del Sur, um hotel em Aysén com sistema de passeios all-inclusive.

  Já contratou o seguro de viagem? Seguro é essencial em lugares insólitos e de difícil acesso como a Patagônia. O buscador Seguros Promo é parceiro do blog e oferece 5% de desconto para leitores, além de parcelar em até 12x no cartão. Se tiver alguma dúvida, fale comigo!

  Você consegue viajar sem celular? Não deixe de sair do Brasil já com o seu chip de celular internacional com internet ilimitada – o frete é por minha conta! Se tiver alguma dúvida, entre em contato comigo.

  Para alugar carro no Chile pelo menor preço pesquise em todas as locadoras de uma só vez através da Rent Cars. Eles possuem escritório no Brasil com atendimento em português e dividem em até 12x no cartão ou com desconto no boleto.


Sobre

Sou mineiro de Belo Horizonte, onde nasci e moro. Sou jornalista, trabalhei com assessoria de comunicação e fui repórter de turismo. Nem toda viagem é trabalho, mas depois do blog todo trabalho virou viagem! Sou @rodeiviagens no Insta.


'Como conhecer a Patagônia Norte sem perrengue' não tem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Gostaria de deixar um comentário?

Seu endereço de email não será publicado.

*

Rodei Viagens 2010 - 2018. Todos os direitos reservados. Colabore com o blog! | Orgulhosamente hosted pelo DreamHost