Concha y Toro: como chegar de transporte público

Atualizado em 27 de março de 2020 por Thiago Khoury

O famoso passeio pela vinícola de Concha y Toro em Santiago tem cara de pega-turista: quando vi aquele arrastão brigando por uma excursão que cobrava 27 mil pesos pelo passeio pensei logo que boa coisa não era.

Se o Chile é um dos maiores produtores de vinho do mundo e o maior exportador latino, por que será que todo turista brasileiro escolhe visitar sempre o mesmo lugar?

Concha y Toro se tornou o passeio turístico mais popular de Santiago, um turismo essencialmente gringo, mas ainda assim legítimo se não fossem os tais 27 mil para chegar até lá.

Comecei a procurar outras formas menos burocráticas de curtir um vinho chileno não sendo de carro alugado, e foi assim que descobri como chegar de transporte público.

Leia mais para saber o basicão de Santiago:

+ Santiago, Chile: primeiras impressões

+ Santiago, Chile: 12 dicas de hotéis separados por bairros

Qual o melhor seguro de viagem para o Chile?

+ Lastarria: o bairro mais charmoso de Santiago

+ Roteiro de um dia no centro de Santiago (com mapa interativo)

Como chegar em Concha y Toro de transporte público

Concha y Toro é uma das vinícolas mais famosas do mundo e tem um passeio super agradável por um preço justo: 8 mil pesos, menos de um terço do valor da excursão. Chilenos gostam, consomem e presenteiam com alguns dos vinhos de sua linha mais popular, o delicioso, e misterioso, Casillero del Diablo.

Meu amigo Bruno, recepcionista do melhor hostel de Santiago, disse que a forma mais indicada de se chegar em Concha y Toro é pegando a linha azul do metrô e descer na penúltima estação, Las Mercedes. Como eu estava colado na estação Bella Artes da linha verde, que faz baldeação com a linha azul em sua última estação, segui nela até o fim.

Em Las Mercedes muita gente escolhe pegar um ônibus na saída da estação e continuar assim até a vinícola, mas para não transformar o passeio em uma verdadeira viagem resolvi pegar um táxi e em menos de 3 mil pesos já estávamos passando pelo portão de entrada:

Imagem de Ricardo Almeida. Imagem do cabeçalho de Enio Godoi. Todos os direitos reservados.

Imagem de Peter Musolino. Todos os direitos reservados.

Concha y Toro em Santiago

Como uma amiga e eu éramos os últimos visitantes do dia, minha guia Bárbara, que morou em Portugal, fez um tour privado e em português claro. Tínhamos uma guia muito simpática e uma linda vinícola em fim de tarde!

Começamos passeando por uma plantação com os diversos tipos de uva produzidos por eles, depois fomos para o ponto alto do passeio que é descer até a adega subterrânea onde estão guardados centenas de barris com o famoso Casillero del Diablo.

Diz a lenda que o senhor Concha y Toro tinha sua produção saqueada constantemente até que em um belo dia resolveu espalhar entre os moradores locais a história de que o diabo morava ali – pronto, deu mais do que certo: seu vinho se tornou o mais popular do país e sua vinícola a segunda maior do mundo.

E os saques cessaram por completo, todo mundo tinha medo de aparecer ali noite.

O subsolo da vinícola mais famosa do Chile

O passeio inclui duas generosas degustações pelo caminho, uma de vinho branco e outra de vinho tinto. Gostei de voltar com a taça que usei pelo passeio e com o mínimo de conhecimento sobre o assunto: não é que existe uma uva que só dá no Chile?

O tour foi um dos melhores passeios que fiz, sugiro especialmente para leigos. E digo mais: essa foi minha terceira vinícola visitada, sendo que as outras duras foram em Napa; e o melhor, Concha y Toro deixou todas elas no chinelo.

Para voltar no fim do dia a dica é pedir um táxi na portaria e pedir para descer na estação final da linha azul, Plaza de Puente Alto.

E a moral é essa: por 13 mil pesos você faz o mesmo passeio de quem geralmente gasta 27 mil.

Concha y Toro

Av. Virginia Subercaseaux 210 | Pirque

Santiago
Comentários (5)
Adicionar comentário
  • Maria Helena

    Thiago, fiquei na duvida: por que na ida desce-se na penultima estacao e nao na ultima? Obrigada!

    • Thiago Khoury

      Olá Maria Helena. Porque é mais fácil achar táxi na saída da penúltima estação.

  • Mariana Madeira

    Também fiz esse passeio por conta, é a melhor coisa. Você vai de metrô, depois pega um ônibus e rapidamente chega por um preço muito mais aquém dos 27 mil pesos. A visita é agradabilíssima, vale a pena mesmo.

    • Thiago Khoury

      Foi impressionantemente melhor do que eu imaginava!

    • Thiago Khoury

      Olá Mariana, se eu pudesse investir mais no passeio eu teria feito o mais longo possível, desde que fosse de helicóptero, mas eu estipulei um teto. De qualquer forma, gostei bem do que fiz! :)