Shaw e Logan Circle em Washington DC

Atualizado em 26 de janeiro de 2021 por Thiago Khoury

Fiquei tentando delimitar os dois bairros modinha de Washington DC de bobo que sou: passeando por eles você irá perceber que Shaw e Logan Circle são geograficamente vizinhos e culturalmente bem parecidos.

Por isso deixo a dica desde agora: você não precisa delimitá-los, é só desbravá-los – caminhe por Shaw e Logan Circle sem se preocupar se você está aqui ou ali porque isso só fará com que você fragmente o seu roteiro sem nenhuma necessidade.

Shaw e Logan Circle em Washington DC

Logan Circle é o bairro que nasce de uma rotatória ao lado da 14th Street, sua rua principal, e Shaw é o bairro que cresceu nos arredores da U Street, uma das ruas mais famosas da cidade, principalmente nos quarteirões entre a 9th Street e a 18th Street.

Como a 14th Street sai de Logan Circle e alguns quarteirões depois cruza a U Street é inevitável sair de um bairro e chegar em outro a medida que eles se misturam pelo caminho:

Shaw é historicamente o bairro negro de Washington DC porque foi ali que começou a luta contra a segregação, nas ruas onde militaram Martin Luther King e Malcolm X. Logan Circle já foi aristocrata com suas imponentes casas vitorianas, mas pouca aristocracia sobreviveu aos malfadados anos 1920.

Hoje Shaw é conhecido pelo grafite, pelas baladas, pelos restaurantes étnicos, pelos antigos teatros de música negra, pelo comércio local onde o cliente influencia em todo o processo de produção… Já Logan Circle tem os bares mais novos, é onde rolam os happy hours mais disputados, mas não necessariamente os mais tradicionais.

Quer combinação melhor do que subir a U e descer a 14?

O que fazer em Shaw e Logan Circle

Comecei meu passeio por Shaw quando saí do Centro de Convenções e subi a 7th Street em direção a T Street.

Passei pelo primeiro (1) Compass Coffee de Washington DC que é um ótimo lugar para tomar o que muita gente considera ser o melhor café da cidade – e com os grãos colhidos no Brasil é tudo coisa nossa.

Chegando na T Street passei pelo icônico (2) Howard Theatre e pela estátua de (3) Duke Ellington, ambos em um curto quarteirão antes de dobrar a esquerda na Florida Avenue – que é o início da U Street, diga-se de passagem.

O icônico Howard Theatre…

… e a estátua de Duke Ellington ao lado dele

Assim que começar a caminhar pela Florida Avenue, o início da U Street, reserve um tempinho para conhecer o primeiro quarteirão da 8th Street que é um charme e virou o miolinho do momento em Shaw: além de várias marcas locais de moda, não deixe de passar pelo mercadinho (4) Glen’s Garden com mesas e cervejeiras na calçada.

Continue pela Florida Avenue para passar pelas lojas onde você monta ali, na hora, praticamente todos os produtos que compra, como os perfumes da (5) Le Labo e os tênis da (6) Bonobos. Não deixe também de entrar na linda loja australiana de cosméticos (7) Aesop, mesmo que assim como eu você não compre nada:

Glen’s Garden na 8th Street…

… e na outra calçada mais um Compass Coffee

Seguindo pela Florida Avenue a gente passa pela Le Labo…

… uma perfumaria onde você monta sua fragrância e ela é produzida ali, ao vivo (olha o laboratório atrás da poltrona de couro!)

Esse é o Glen me mostrando as principais bases de fragrâncias

Essa é a loja super minimalista de cosméticos Aesop

A moça percebeu o quanto gostei da loja e acabou montando um kit de amostras para mim!

Ela tem a mesma pegada “alquimista” da Le Labo

Assim que a Florida vira U Street você pode começar a caminhar por ela até a 14th Street cruzar. São tantos restaurantes e bares incríveis que a gente se sente compelido a ir cada vez mais longe.

Claro que os primeiros quarteirões perpendiculares a U Street são cheios de muros grafitados e lugares incríveis loucos para serem descobertos, mas antes da 14th Street só a 8th Street tem essa pegada moderna com construções em aço e vidro que parecem ter sido inauguradas recentemente – e realmente foram.

Depois dela os próximos quarteirões são bem mais históricos e muito mais gastronômicos: muro com muro de tijolinhos pintados, grafitados e muitos restaurantes asiáticos, italianos e etíopes.

U Street com suas paredes de tijolos e a marca da Coca pintada lá no alto

O famoso Ben’s Chili Bowl que bomba na madrugada: o fim de noite mais democrático das baladas de Shaw

Arte de rua pelos becos perpendiculares a U Street

Então, antes de entrar na 14th Street e começar a descer em direção a Logan Circle o conselho é deixar os olhos preparados para serem pescados pelo caminho, mas não deixe o (8) Ben’s Chili Bowl passar despercebido, nem o igualmente famoso (9) Lincoln Theatre que fica literalmente ao lado.

Pronto, essa é a 14th Street – diferente do como geralmente é, vale dizer: peguei tudo vazio porque era uma quarta apocalíptica minutos antes de cair uma chuva daquelas:

Esse é o (10) Barcelona Tapas, o mais charmoso e mais disputado bar da 14. Quando fui a casa estava abrindo e as mesas de dentro ainda estavam vazias. Dica da minha amiga Mari Campos:

Tomei um Bloody Mary de bobo que fui: pedi para o bartender me servir o que ele sabia fazer de melhor, mas ele preparou justamente o único drink que acho insuportável. Fiquei tão sem graça que acabei bancando minha petulância e bebi até o fim.

Outros dois lugares que valem passar por eles, principalmente se você for um homem de trinta e poucos ou namora um: essa flagship store da (11) J. Crew exclusivamente masculina que tem moda casual por preços legais e peças que a gente geralmente não encontra em outros endereços. Já o (12) Le Diplomate é um francesinho charmoso, mas enorme, na esquina com a Q Street.

Uma ótima pedida por ali, aliás a sopa de cebola é deliciosa. Pode pedir sem medo.

Como eu disse tem muita coisa para fazer ali, mas esses foram os lugares que eu precisava compartilhar com vocês o mais rápido possível: pode usá-los para se guiar, mas não se limite a eles!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

*