O que conhecer na ilha de Mahè em Seychelles

Precisei desbravar Mahè e conhecer Praslin e La Digue, as duas ilhas celebridades de Seychelles, para descobrir que Mahè é ilha menos conhecida do país: o pessoal chega ali, pelo aeroporto, e vai logo para os seus paraísos exclusivos em Praslin e La Digue, mas nem todo mundo faz como eu que não só ficou em Mahè como desbravou a ilha onde os locais de fato vivem em Seychelles.

E olha, sabia decisão: ficar em Praslin e La Digue seria tão incrível quanto, mas ter ficado em Mahè me deu a oportunidade de conhecer praias lindas sem ver um único gringo sair do mar. Também não vi nativos porque esses pegavam os mesmos ônibus do que eu para ir trabalhar, provavelmente nos paraísos exclusivos de Praslin e La Digue.

Quem mais vi nas praias de Mahè eram gringos que moravam em Seychelles, cada um com os seus motivos profissionais e suas histórias. Seja de ônibus como eu, ou contratando passeios locais, esses são alguns dos lugares que conheci na ilha de Mahè em Seychelles e acho que você deveria conhecer também:

Praias e pontos turísticos de Mahè, Seychelles

  • Cap Lazare

Sacanagem começar a lista com Cap Lazare, o único lugar que só se chega contratando um passeio da Creole Travel Services. Tanto a praia como a vila privativa, que geralmente estão ali para festas e casamentos, oferecem uma invejável surra de beleza, aliás, Cap Lazare foi a primeira coisa que vi em Seychelles logo depois que cheguei – essa mistura indecente de azul protegida por pedras e mata:

Prainha particiular de Cap Lazare

Almoçamos e fomos logo para a praia de Cap Lazare

Isso é um heliponto!

Quando disse cercada por pedras eu queria dizer cercada por pedras, mesmo!

  • Eden Island

Lembro que quando tive a oportunidade de ver Eden Island pela primeira vez, lá de cima do ponto mais alto de Mahè, bem próximos do nosso Avani Barbarons, ouvimos pela primeira vez o boato de que a ilha tem esse nome por ter sido lá onde Eva comeu a maçã que não podia – mentira, é claro: Eden Island é só um empreendimento imobiliário que com marina, shopping e restaurantes.

E que empreendimento: fico imaginando que tipo de pessoa compra uma casa em um lugar como esse e porque não conheço nenhum deles.

Eden Island visto do alto de Mahè

O shoppingzinho de Eden Island tem restaurantes e uma cervejaria, mas exceto pela Billabong não tem marcas conhecidas, apenas marcas locais

Olha um pedacinho da marina e as casas no fundo

Fomos comer no Bravo, um restaurante que tem comida internacional que agradava a todos  – fico imaginando o trampo que deve ser fazer um filé de boi atravessar o mundo e chegar ali. Nenhum prato custava mais de 30 dólares

  • Anse Royal

Na minha nada humilde opinião Anse Royal é muito mais paradisíaca do que a próxima da lista, que é a favorita dos gringos que se aventuram por Mahè. Lembro que o caminho entre o Avani Barbarons e ela já era uma bela aventura: fomos descendo os morros de Mahè e quando chegamos no nível do mar era um trecho de água mais bonito do que outro, queríamos parar em todos!

Nos perguntávamos o que faz com que uma praia seja famosa e outra não, mas soubemos responder sem ajuda de ninguém: em Mahè as praias ficam muito próximas da areia, muitas vezes não existe sequer areia e a água toma as ruas quando não existem paredões que separam a água do asfalto.

Esses pedacinho de areia que a gente vê quando a maré está baixa em Anse Royal faz dela uma ótima pedida de praia em Mahè, além de extremamente discreta, sem quase ninguém por ali:

Chegando em Anse Royal foi só pular do ônibus que já estávamos na praia (e durante a maior parte da manhã dividimos o mar com apenas duas pessoas)

Anse Royal é a maior definição de paraíso urbano: olha a distância da estrada para o mar

Olhando na outra direção

Não sei de onde veio essa pedra, mas ela compôs bem o ambiente

Anse Royal: olha a cor do mar!

É impressionante o tanto de mata que tem em Mahè e o quanto ela embeleza a ilha – é impressionante também como a cor do mar muda em fotos tiradas dentro d’água!

  • Beau Vallon

Beau Vallon deve ser a praia mais famosa de Mahè em Seychelles. No caminho entre Anse Royal e Beau Vallon a gente foi percebendo como as estradas estreitinhas de Mahè foram se transformando em ruas de paralelepípedos onde pipocavam hotéis pelo caminho.

Em Beau Vallon tinha muito gringo passeando e muitas famílias locais, crianças e barraquinhas de comida. Pensei que tipo de comida inusitada eu encontraria ali e quanto precisaria de pagar por elas, mas acabei me decepcionando quando vi carne de hambúrguer e batata frita:

Beau Vallon em Mahè

Beau Vallon é bem maior que Anse Royal e tinha mais gente, apesar de continuar vazia para os nossos padrões

Precisa fazer um lanchinho e não quer entrar nos restaurantes? Vai de barraquinha na praia!

  • Victoria, Mahè

Para não falar que batemos perna pela capital, já a caminho do aeroporto passamos pelo centrinho de Victoria que, sim, apesar de aparentemente pequena é capital de Seychelles. Essa parte só entra aqui por responsabilidade jornalística, mas no meu roteiro ela é completamente dispensável, até porque aqueles óleos e temperos incríveis do Mercado de Victoria jamais embarcariam em um voo da Emirates:

O templo hindu recebe diariamente parte da população indiana de Seychelles, que é gigante!

O Mercado de Victoria

No andar da rua são os perecíveis, no segundo andar artesanato e lembrancinhas

Óleos e temperos afrodisíacos – tudo extremamente caseiro, queria ter comprado tudo!

Antes de terminar quero deixar claro que tive outras oportunidades de passear pelo centro de Victoria e continuo achando que essa parte de Seychelles não precisa entrar no roteiro de ninguém: se Seychelles é tido como um dos destinos mais distantes e caros do mundo, não faz sentido chegar ali para que ficar pulando entre mercado e templo hindu tendo consciência de todos os outros lugares que existem bem próximos dali.

Uhm, e outra: existe um relógio no alto de uma pequena torre bem no meio da principal bifurcação do centro de Victoria que é tido como ponto turístico de Victoria. Também passei por ali, jantei ali e, não, não se preocupe em dedicar parte de sua viagem ao centrinho de Victoria.

Outra coisa que preciso falar é sobre a locomoção entre esses lugares: como consegui ir de ônibus para todos esses lugares em Seychelles?

Perguntando. Perguntei onde o ônibus passava, qual era a rota que eu deveria pegar e onde descer. Perguntei no hotel, perguntei para o motorista, perguntei para quem estava sentado ao meu lado no ponto e sentado ao meu lado no ônibus. Tudo em inglês, não passei perrengue algum.

Foi diferente ser o único homem branco no ônibus de toalha amarrada na cintura e câmera na mão? Foi, mas não me senti intimidado em momento algum. Na verdade, minto: saindo de Beau Vallon um grupo de meninas europeias entraram no ônibus logo depois de mim.

Todas de biquíni. Isso deve dizer bastante sobre a segurança de Seychelles.

Outras dicas do blog para programar a sua viagem:

  Já sabe onde ficar em Seychelles? Selecionei as melhores opções nas ilhas Mahè e Praslin. Eu fiquei no Avani Barbarons que é lindo e barato!

  Já contratou o seu seguro médico de viagem? Eu gosto da World Nomads, uma empresa australiana que cota em reais e oferece a maior cobertura que conheço pelo menor preço. Cote também nas melhores empresas nacionais de uma só vez pelo Seguros Promo.

  Você consegue viajar sem celular? Não deixe de sair do Brasil já com o seu chip de celular internacional com internet ilimitada. Se tiver alguma dúvida, entre em contato comigo!

  Para alugar carro na África pelo menor preço pesquise em todas as locadoras de uma só vez através da Rent Cars. Eles possuem escritório no Brasil com atendimento em português e dividem em até 12x no cartão ou no boleto com desconto.


Sobre

Sou mineiro de Belo Horizonte, onde nasci e moro. Sou jornalista, trabalhei com assessoria de comunicação e fui repórter de turismo. Nem toda viagem é trabalho, mas depois do blog todo trabalho virou viagem! Sou @rodeiviagens no Insta.


'O que conhecer na ilha de Mahè em Seychelles' não tem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Gostaria de deixar um comentário?

Seu endereço de email não será publicado.

*

Rodei Viagens 2010 - 2017. Todos os direitos reservados. Termos de uso e política de comentários. Colabore com o blog!