Cirque du Soleil em Las Vegas: Criss Angel: Belive

Atualizado em 7 de fevereiro de 2019 por Thiago Khoury

Criss Angel é considerado o melhor ilusionista do século e o mágico mais assistido da TV. Como grande parte de seus números aconteciam em Las Vegas, o Cirque du Soleil o convidou para escrever, dirigir e estrelar o sexto espetáculo da trupe na cidade, Believe.

Believe é a maior atração do Luxor, no sul da Strip. O espetáculo que estreou em outubro de 2008 foi originalmente produzido na tentativa de durar um mínimo de 4.600 apresentações; ou dez anos em cartaz com possibilidade de extensão por outros cinco, o que eu duvido que aconteça.

Não sou piolho de Soleil, aliás, muito pelo contrário, sou do time dos que acha tudo muito bonito, mas morre de preguiça de quem compra o DVD e cisma de passar para a família entre o jantar e a sobremesa.

Acontece que Las Vegas possui os espetáculos mais bonitos da trupe, eu tinha pouco menos de uma hora para conseguir fazer algo na cidade e fui logo no que parecia oferecer maiores chances de ainda possuir ingressos a venda.

Chegando lá perguntei pelo preço de dois dos best seats available. O sujeito muito simpático já foi logo me oferecendo um desconto qualquer no preço de tabela. Perguntei depois se não existia nenhuma outra promoção disponível. Ele procurou o chefe, somou descontos e disse que faria dois pelo preço de um.

Ponto para Vegas, bebê.

Como tínhamos chegado na cidade às oito, às nove eu já estava com os ingressos em mãos. Troquei a cerveja por uma big frozen marguerita por inacreditáveis U$ 27 em um copo de 900 ml. Claro que muito antes da metade eu já estava completamente embriagado – e o que um jovem bêbado faz em um show com participação do público? Sobe no palco, é claro.

O teatro do Luxor é o mais bonito que já conheci, inclusive dos que conheço em Nova York, mas desavisados como eu vão em busca do que acreditamos ser um espetáculo do Cirque du Soleil, mas Believe não é absolutamente nada do que você já viu em DVD: é simplesmente um stand-up com alguns números de mágica que já estão na internet.

Grande parte dos números acontece quando ele recapitula sua carreira em um vídeo no telão – no mais, o roteiro é basicamente uma sucessão de pequenos números intercalados por improvisos ao microfone. A parte mais circense do espetáculo é bem interessante: envolve pombas, um truque com o telão, personagens fantasiados e trilha sonora arrebatadora; mas dura menos de cinco minutos.

O espetáculo começou vazio, mas dez minutos depois do início já não restava um único assento disponível – dizem que 40% é o desconto de praxe. Criss Angel deve ter um contrato violento com os canadenses que já não veem a hora de enxotá-lo dali: fui ver um show de mágica como outro qualquer, mas com a (surreal) chancela do Cirque du Soleil.

Foi bem menos do que esperávamos (o trailer na internet são vários cortes dos tais cinco minutos mencionados), mas ainda sim é interessante: foi morno, mas só foi decepcionante porque as expectativas eram grandes. Se essa crítica tivesse sido escrita logo após o espetáculo ela teria sido menos ácida, mas um mês se passou entre Believe e ela – além de duas outras coisas aconteceram: O e Zumanity.

Ah, sim “marguerita” e “participação do público”: subi no palco, conversei com Criss Angel e ele adivinhou meu nome, minha idade e de onde eu vinha. Claro que das 1.600 pessoas ali eu fui o que mais gostei de Believe.

Criss-angel-believe-01

Believe

No Luxor, entre U$ 60 e U$ 160

Geralmente 19:00 e 21:30. Sem apresentações aos domingos e segundas

7 comentários sobre “Cirque du Soleil em Las Vegas: Criss Angel: Belive

  1. Assisti o One Michael Jackson e pra mim e o melhor de Las Vegas é um musical que mistura Acrobacias e foge um pouco do tradicional, e as musicas do Michael apresentadas foram muito bem escolhidas o que torna o Show sensacional.

  2. Como eh a configuracao de assentos? Tem lugar ruim? Vc pegou qual assento? Pra ter uma boa experiencia vc aconselha qual zona/area/assento?

  3. Eu assisti o Viva Elvis e o Beatles Love, o LOVE como o Julio comentou, tem poucas acrobacias e sem duvida é bem psicodélico, agora o VIVA Elvis, é lindo, emocionante, maravilhoso, vale muito a pena ver!
    Ah, outra coisa, encontrei um casal no aeroporto e eles tb ficaram um pouco insatisfeitos com o Cris Angel, mas se serve de consolo, eu fui para o David Copperfield q tb não é lá essas coisas todas, o teatro é bem vagabundo, algumas mágicas legais, ri um pouco e só.

  4. Antes de mais nada, adoro o Cirque du Soleil, mas é bem como você disse, esse espetaculo é totalmente atípico da trupe. Eu gosto muito ver o programa do Chris Angel na televisão, e realmente esperava por uma apresentação maravilhosa – muito maior do que eu vi, de encher os olhos – o que aconteceu somente no último número.

    Do geral, o cenário é muito bem produzido, porém, facilmente perceptivo para quem já assistiu a inúmeras apresentações do mágico mascarado ou Mister M, para os brasileiros. Claro que não tem como saber como os números de ilusionismo são feitos, mas te deixam com um gostinho de: “eu acho que sei como ele fez isso”. Faltou aquele UAU, como ele fez isso.

    Somente o último número me chamou a atenção. Fui para um show de ilusionismo, não de um stand up comedy, como ele pensa ser. Não penso que durará mais do que cinco anos.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

*