Buenos Aires: dicas de balada

Depois de muita gastronomia e quebradeira, estou pronto para destilar os meus pitacos sobre as baladas de Buenos Aires, onde independente do lugar, do público ou da proposta em algum momento você irá ouvir o bom e velho reggaeton, ou o line up do carnaval baiano de 2007.

Inquiries, kindly, fuck off! Por @mas160

Bem, de qualquer forma, fica a dica número um: o ápice da festa acontece por volta das duas da manhã, mas para garantir entrada você precisa chegar muito antes disso, não caia no papo de quem diz que a balada só começa depois da meia-noite.

Dica número dois: prepare a carteirada, crie sua rede de contatos. Comece pela Lali Ledesma, uma promoter gracinha de um lugar que você não pode deixar de ir.

Dica número três: para economizar, vá de destilado. Para quem está viajando com amigos, pergunte pelos camarotes, eles geralmente têm preços bem convidativos e incluem garrafas suficientes para segurar a onda de você e seus amigos durante boa parte da noite.

Ah, mais uma: baladas são perecíveis, é impossível garantir que as características dos lugares mencionados abaixo permaneçam as mesmas com o passar do tempo – não brigue comigo! Pergunte para os locais, interaja com quem está lá. Essas baladas são famosas entre turistas e portenhos, mas se você acha que devo rever minha opinião sobre qualquer uma delas, dê o grito!

Buenos Aires: 25 dicas de hotéis

Hostel Suites Palermo | Onde não ficar em Buenos Aires!

Dicas de balada em Buenos Aires

Melhores boates de Buenos Aires

  • Kika Club | Honduras 5339, esquina com Godoy Cruze, Palermo | Forte nas terças

Kika é uma balada alternativa com pinta de mainstream. É uma das mais famosas da cidade, popular entre turistas e locais. Não é cara e geralmente tem lista amiga. É gay-friendly e prevalece o bate-estaca. Não é das maiores, mas a pista principal é bem grande – infelizmente a casa enche tanto, mais tanto, que o lugar parece ter a metade do tamanho que tem. Vale fazer um esquenta no Pekin ao lado. Foi a primeira balada que fui, não sabia o que esperar e não tinha com o que comparar.

  • Asia de Cuba | Pierina Dealessi 750, ao lado do Hilton, Puerto Madero

É uma das baladas mais bonitas que já conheci: durante a noite ela é restaurante com culinária asiática, mas depois de certa hora vira balada de tecno-house. Pessoas bonitas, filas enormes e um pessoal que não é lá muito digno de confiança: me cobraram 100 pesos pela entrada que muitos dos meus amigos pagaram 20, mas mesmo que os seguranças estivessem fazendo um caixa dois foi a melhor balada com a melhor música da cidade. Um único ambiente, Budas gigantes e um Puerto Madero bem charmoso na saída.

É impressionante como ninguém em Palermo tinha sequer ouvido falar de lá. Será que o pessoal de Belgrano é in e o pessoal de Palermo é out? Enfim, Asia de Cuba levou a melhor por acaso do destino, mas sei que Terrazas é um concorrente a altura: são vários ambientes, quatro ou cinco, e todo tipo de música em uma uma mansão a beira-rio toda iluminada por bambus em chamas. É aqui que trabalha Lali Ledesma, mas, se você for tímido, geralmente basta dizer somos invitados de Lali ao entrar. Ah, homens, não se esqueçam: sapato é obrigatório.

Outras duas dicas: para quem procura balada GLS a Human é considerada a irmã gay do Terrazas e está, literalmente, ao lado. Aliás, falando em balada ao lado, vale lembrar que Pacha também está lá. Não conheço porque geralmente não gosto de Pacha, mas dizem que a de Buenos Aires só perde para a de Ibiza. Lembre-se também que Pacha não abre todos os dias, apenas em datas previamente anunciadas.

  • Brujas | Jorge Luis Borges 1640, Plaza Serrano

Brujas fica na Plaza Serrano, no coração de Palermo Soho. Restaurante durante o dia e balada depois da meia-noite. Quem já está lá antes da operação Cinderela não precisa pagar entrada. São vários andares, o lugar é meio confuso, mas isso faz partes dos prós e não dos contras. Brujas é surpreendentemente boa, divertida, tem cerveja em garrafa e vai até às sete da manhã.

Niceto é a balada mais tradicional e conhecida de Buenos Aires. Se você pedir sugestões para um senhor de 80 ou para um jovem de 16 ambos dirão Niceto – e eu ainda não sei se isso é legal ou não. Fiquei quase uma hora na fila de entrada, mas acabei desistindo. Você que conhece a Niceto, ajude-nos a entendê-la, deixe o seu comentário: em uma escala de zero a PC Siqueira, o quão hipster ela é?

Já contratou o seu seguro de viagem? Conheça o buscador Seguros Promo e ganhe 5% de desconto através do link!

Você consegue viajar sem celular? Viaje com chip de celular internacional com internet ilimitada!

  • Museum | Perú 535, esquina com Venezuela, San Telmo | Forte nas quartas

Muito legal, mas infelizmente ela também bomba na quarta. Enfim, mesmo esquema da Brujas, mas com um público mais after-office – aliás, prepare-se, por lá tudo é after-office, inclusive descrição de dress code. A diferença entre ela e a Brujas é que essa tem uma pegada mais anos 1980 – e isso é bom, acredite, Museum é uma das melhores!

Facebook-icon Instagram-icon Twitter-icon Siga o blog nessas e em outras redes sociais: sempre @rodeiviagens Facebook-icon Instagram-icon Twitter-icon

Dicas de balada em Buenos Aires

Promoters adoram trazer brasileiros para as suas baladas: use o número de amigos a seu favor, você conseguirá furar fila e poderá não pagar pelas entradas.

Não existem comandas em Buenos Aires: tudo que é pago é entregue na hora, não dá para pegar depois.

Speed não é nome de droga, é vodka com energético.

Lembre-se que balada argentina não é balada brasileira e você não é tratado como em balada chilena: as pessoas não são as mais educadas, muitas vezes você imaginará estar fazendo o favor de consumir ali – e as pessoas fumam, muito, em todo e qualquer lugar.

O famoso Milhouse promove os seus esquentas dentro do próprio albergue, mas cuidado com a balada ao lado (alguém sabe o nome?), que é trash e bem mal frequentada.

E não é que tudo isso pode ser confirmado ou refutado acessando os sites abaixo? Eles trazem agendas semanais e diárias, você consegue se inteirar de tudo que acontece na cidade, experimenta:

buenosaliens.com | Tudo que acontece na cidade dividido por filtros

infoboliches.com.ar | Quase tudo que acontece na cidade – Underground Edition

pubcrawlba.com | Versão portenha do Pub Crawl, pulando de bar em bar

Update: junho de 2014

O Raphael Santos é um leitor que acabou de voltar de Buenos Aires e passou aqui para deixar as suas impressões sobre a noite de lá. Parece que pouca coisa mudou, mas fica a dica de mais uma balada. Leiam nos comentários!

Salvar

Salvar

Outras dicas do blog para programar a sua viagem:

  Já sabe onde ficar em Buenos Aires? Fiz três listas com as melhores opções nos bairros mais procurados: Palermo, Microcentro e Puerto Madero.

  Já contratou o seguro de viagem? Viajar com seguro é essencial! O buscador Seguros Promo é parceiro do blog e oferece 5% de desconto para leitores, além de parcelar em até 12x no cartão. Se tiver alguma dúvida, fale comigo!

  Você consegue viajar sem celular? Não deixe de sair do Brasil já com o seu chip de celular internacional com internet ilimitada – o frete é por minha conta! Se tiver alguma dúvida, entre em contato comigo.

  Para alugar carro na Argentina pelo menor preço pesquise em todas as locadoras de uma só vez através da Rent Cars. Eles possuem escritório no Brasil com atendimento em português e dividem em até 12x no cartão ou no boleto com desconto.


Sobre

Sou mineiro de Belo Horizonte, onde nasci e moro. Sou jornalista, trabalhei com assessoria de comunicação e fui repórter de turismo. Nem toda viagem é trabalho, mas depois do blog todo trabalho virou viagem! Sou @rodeiviagens no Insta.


'Buenos Aires: dicas de balada' têm 24 comentários

  1. 1 de março de 2016 @ 0:31 Caroline

    Oi! Estou indo para a Argentina daqui 14 dias. Minha prima e eu estamos pesquisando alguns lugares para irmos. É melhor reservar mesas nos lugares que formos?
    Vamos ficar perto de uma balada chamada “Club One”, parece ser nova. Mas não conseguimos achar muitas pessoas que a conheçam. Se souber algo sobre ela, agradecemos!

    Responder

  2. 26 de dezembro de 2015 @ 13:05 O melhor da vida noturna em Buenos Aires | Quero Viajar Mais

    […] Balada em Buenos Aires !!! […]

    Responder

  3. 21 de abril de 2015 @ 11:34 O que fazer na Argentina? - Diz Aí Gi

    […] as dicas de baladas em Buenos Aires que o Raphael Santos, um leitor do blog www.rodei.com.br e separei aqui para você, pois anda melhor do que alguém que já foi para […]

    Responder

  4. 8 de janeiro de 2015 @ 14:55 Vanessa Santos

    Continuando, 5 anos depois eu voltei a Buenos Aires e meu foco já era outro. Mais, velha, dei preferência por ir a bares legais seguidos de boate. Assim, vou dar a dica dos dois!

    Segue minha experiência em Novembro de 2014 (cheguei numa quarta feira e fui embora no domingo)

    – Quarta feira fomos no LUPITA, em Las canitas. Bar mexicano gracinha, com um dj tocando música ambiente, luz baixa… galera descolada/jovem/moderna. Não achei caro. Recomendo a todos. Fiquei sabendo que também tem filial em Puerto Madero. Depois fomos para o happy hour / after office do TERRAZAS DEL ESTE. Chegamos tarde (por volta das 22h30), e, como o lugar é bem grande, deu a impressão que estava vazio, mas não estava, é que o lugar é grande mesmo. É lindo, tem vista pro Rio, uma ampla pista grande com eletrõnico mainstream (David Guetta, etc) ao ar livre (perfeito pro verão, mas não sei como devem fazer no inverno) e uma pista interna com reggaeton. 100 pesos pra entrar, e tem vários camarotes. Fica na Costanera, só dá pra ir de táxi, e mesmo assim ele não deixa lá dentro, tem que andar um pedaço a pé. Então meninas, vão sem salto ou com salto tipo anabela, fica a dica! Gostamos muito!

    – Quinta feira fomos em 3 bares: O FLORERIA ATLÂNTICO, no Retiro, é uma surpresa: você entra achando que é uma floricultura, de repente eles abrem uma porta e vc desce… no subsolo tem um bar super diferente, com o dj bombando nas músicas e drinks maravilhosos. Foi eleito o melhor bar da América Latina este ano, imperdível!
    De lá seguimos para o RIO CAFÉ, em Palermo. Nesse nós entramos, demos uma volta no lugar e fomos embora. Bar com DJ. Mas ninguém dançava, pois como só tinha indie/hipster/tattoo todo mundo só fazia carão e ficava na social. Não é minha praia, mas pra galera da moda/design/fotografia tem tudo a ver.
    Enfim paramos no VERNE, gracinha de lugar. Com uns sofás confortáveis, uma área lindinha ao ar livre e com temática original (Julio Verne!), tomamos dois drinks delícia. Depois de todo esse àlcool, me animei e pedi dica de boate boa às quintas. Ele me sugeriu 3, mas disse que a KIKA era a melhor. 100 pesos a entrada. Chegamos lá por volta de 02h30 e estava bom-ban-do de lotada! O espaço é padrão: bar na frente, duas pistas retangulares, a maior de música mainstream (calvin harris, david guetta, etc) e a menor de reggaeton, e os camarotes na lateral. Só que o diferencial é que tem umas dançarinas profissionais no fundo, uma coisa meio lady gaga, muito divertido. É um público normal, nada de alternativos ou mauricinhos. Adoramos! Estranhei muito depois quando li os comentários sobre a Kika na terça feira, pois na quinta feira foi totalmente diferente do mencionado!

    – Sexta feira: Partimos pro ISABEL BAR às 23h30. Não tinha mais mesas disponíveis, mas conseguimos ficar na barra do bar. Me senti no comercial do perfume 212 vip Carolina Herrera, rsrsrs. Só gente linda, chique da grana. Público 30 anos (o meu). Muitos artistas (argentinos, claro). Bartenders maravilhosos, drinks mais ainda, lugar super bem decorado, até o banheiro é um luxo. Caro: 850 pesos 4 drinks e 2 entradas. Pra entrar passa por uns 3 seguranças, tem um dj excelente, e o lugar vai lotando, lotando… saímos de lá as 2h direto para o ROSEBAR, boate a um quarteirão de distância. Mais bonita, mais chique e maior que a Kika, mas mantendo o mesmo padrão de espaço (2 pistas, 1 de musica de radio outra de reggaeton, camarotes em uma lareral, bar de outro…), só que o povo de lá era mais esnobe: galera fazendo carão ao invés de se divertir, sem empatia, mal educado. Não gostei do público. Mas recomendo esta dobradinha, Isabel + Rosebar na sexta feira.

    – Sábado foi uma maratona: Jantamos tarde (meia noite) no BASA, em Retiro, e que acerto: restaurante moderno, à meia luz, com música eletrõnica ao fundo, perfeito começo de night. Público local (sem turistas), classe alta e por volta dos 30 anos. Depois fomos para o VICTORIA BROWN em Palermo, chegamos por volta de 1h30 da manhã e já estava mega lotado, sem mesas e sem espaço na barra do bar, daí foi ruim porque fiquei sem espaço, mas que lugar original! Decoração incrível, todo inspirado na Revolução industrial, e drinks melhores ainda. Super recomendo, mas não faça como eu, chegue mais cedo. Deu 2h30 e decidimos que já tava na hora de irmos pro “boliche” (balada) e escolhemos a LIQUID, na Av. Santa Fé. 60 pesos pra entrar. Detestamos! Era um clima estilo Casa da Matriz aqui no Rio de Janeiro (pra quem conhece), o lugar é uma casa, a galera faz mais social e dança pouco. Não queriamos isso, só entramos, olhamos e fomos embora. O segurança viu que só ficamos 5 minutos e ele devolveu nosso dinheiro sem pedirmos, foram super honestos. Como lembrei que a ARAOZ é a um quarteirão de distância, partimos pra lá. Mas, na fila, percebemos que só tinha público 18 anos, isso me desanimou e nem entramos. Pegamos um táxi para a JET LOUNGE na Costanera, e só vejo Bmw e Porsche estacionado. Os seguranças me secaram de cima a baixo (ainda bem que estava montada no paetê). Num inglês fluentíssimo, me disseram que não poderia entrar pois naquela noite era uma festa especial onde só entrava quem tinha comprado uma mesa previamente. Não ia terminar minha última noite em Buenos Aires sem balada, então retornei à TERRAZAS DEL ESTE às 3h30 da manhã. Estava explodindo de tão cheio, mesmo o lugar sendo imenso não era o suficiente. Público animadíssimo, músicas idem. Fique até o nascer do sol, de frente pro rio é lindo, já que parte do lugar é aberto. O pessoal fica até as 07h da manhã.

    Vou pra Buenos de novo no começo de fevereiro/2015, e dessa vez quero ir no Niceto e na Asia de Cuba. Também quero ir no Museum, alguém sabe me dizer se ainda é bom?

    Outra coisa, eu nunca usei isso de falar que estou na lista de determinado promoter, isso cola mesmo? Eles não verificam?

    Espero ter sido útil, em um balanço geral, senti que quanto mais caro o lugar, menos as pessoas eram abertas a conhecer gente nova (eu) e menos tinham empatia com brasileiros.

    Responder

    • 9 de janeiro de 2015 @ 17:33 Thiago Khoury

      Cola sim! Bem, geralmente sim, não custa tentar! Obrigado mais uma vez!

      Responder

  5. 8 de janeiro de 2015 @ 13:06 Vanessa Santos

    Thiago, obrigada pelas dicas! Esse post foi muito útil pra mim, pois foi um dos mais completos que já li sobre baladas. Vou dar aqui a minha contribuição relatando as minhas experiências! Fui 2 vezes a Buenos Aires, a primeira em Janeiro de 2009 e a segunda em Novembro de 2014.

    As baladas que fui em janeiro de 2009 (passei 15 dias):

    – Terça feira fui em uma boate chamada LA CIGALE, é tipo um bar com uma pista no fundo. Não recomendo! Fui furtada lá (abriram a minha bolsa), levaram a minha câmera e minha amiga que estava de calça jeans e camiseta, quietinha com atitude normal foi confundida com prostituta quando disse que era brasileira. Esse bar era com comanda, o que quase não tem em Buenos Aires.

    – Quarta feira fomos na CLUB MUSEUM, em San Telmo. Fomos cedo pois era happy hour e foi bem divertido! Estava cheio de “officers”, o lugar é grande e bonito, projetado por Gustavo Eiffel (sim, o mesmo da torre de Paris). Música dos anos 80 e 90, finalizando com reggaeton. O reggaeton é tipo o funk aqui no Rio: você pode estar na balada mais cara, mas sempre termina com este ritmo! rsrsrs. Acabou as 2 horas da manhã em ponto, a música acaba e todo mundo vai embora. (IMPORTANTE: soube que o lugar mudou de nome e agora se chama BOUTIQUE AFTER OFFICE)
    Emendamos com outra boate, a BAHREIN, no centro. Essa é super eletrônica bate estaca. Clima underground, mais pesado, a pista do subsolo tem um jogo de luzes bonitos na parede. Galera mais alternativa, eu estava acompanhada de um local que não queria ir pra lá pois tem muitas drogas. Tipo galera que gosta de pó. Minha amiga esqueceu a bolsa Chanel na cabine do banheiro e roubaram, ela fez um escândalo na boate inteira, os seguranças ajudaram ela e conseguiram pegar a menina que roubou. Depois disso como cortesia eles deixaram ela de super vip durante toda a estadia dela em Bsas (ela morou 6 meses lá). Eu não gostei do lugar, mas deixo aqui registrado pra quem curte eletrõnico.

    – Quinta feira fomos na ARAOZ, que fica na calle araoz em Palermo. Foi muito engraçado: Quando chegamos tinham várias pessoas vestidas estilo rockabilly, e estava tocando um hip hop forte (não aquele da rádio) tinha até gente dançando break. Daí o lugar lotou e só tocou reggaeton o resto da noite! Muita divergência de público e ritmos. Gostei muito dessa!

    – Sexta feira fomos na GOA LE FRANCE, achei o espaço bem parecida com o museum, e também gostei muito. É grande e estava bem cheio. E era barato: vodka y speed 2 por 1. Toca música dance modinha de rádio, depois reggaeton. A parte ruim é que finaliza com Axé Bahia de 2007. E é muito esquisito ver um monte de portenho dançando música brasileira velha, com coreografia e tudo…

    – Sábado fomos na THE ROXY. Eu amo rock, e era a que eu mais tinha expectativa. Maior decepção: Estava vazia! Só tinha pirralho e roqueirinho estilo axl rose / heavy metal e não estilo indie/hipster. Só tocava música velha, rock batido, nada atual. Perguntei porque estava tão vazia e me disseram que geralmente é cheia, mas como era mês de janeiro todos vão passear de férias em outras cidades, por isso muitos lugares ficam vazios na capital. Então, fica a dica!

    – Segunda feira fomos ver o batuque do LA BOMBA DE TIEMPO, no ciudad cultural Konex. É a única coisa que tem pra fazer nas segundas de verão, e é bem legal. É tipo o Olodum tocando na Lapa aqui no Rio. Só que o local é fechado e paga pra entrar. E, assim como a Lapa, só tem gringo estilo “estou fazendo mochilão”, se é que me entendem. Acaba cedo, depois fomos pra uma boate horrorosa em frente ou perto da Millhouse no centro que é super trash e que não recomendo pra ninguém.

    No outro post falo da minha última viagem!

    Responder

    • 9 de janeiro de 2015 @ 17:32 Thiago Khoury

      Oi Vanessa, que ótimo suas dicas e a renovada no post, muito obrigado! – e, sim, eu fui nessa trash ao lado do Milhouse e não recomendo nem pro meu pior inimigo, rs!

      Responder

  6. 3 de dezembro de 2013 @ 14:16 Fernanda

    Dicas atualizadas das baladas:

    Jet Lounge- fica na Costanera e quse ninguém na rua sabia me explicar onde ficava. Grata surpresa. A melhor de todas.
    Se quer um lugar para dançar, com gente linda e músicas ótimas com buena onda, sem dúvida é a Jet. Ficamos até ás 7 da manhã, é lindo ver o dia amanhecendo e no fundo o rio com os barcos ancorados.
    Imeperdível, fui sábado. Tem que ir bem vestido e as pessoas da porta são meio esnobes , é bom entrar em contato antes no site e perguntar como faz para colocar o nome na lista. Público entre 25 e 35 anos. Detalhe: depois de enfrentar a cara de esnobe do promoter da casa e conseguir entrar às 02:30 pensamos: que furada, tava miado, umas 50 pessoas espalhadas, mas eis quie 20 minutos depois o lugar lotou de uma hora para outra. Os portenhos realmente saem tarde, entre 02:30 e 03:00 da manhã.

    Kika- todo lugar na internet dizia que tinha uma festa que bombava na terça chamada ” Hype”. Para mim , o nome mais adequado devreia ser ” Help”: socorro!!! Alguém me tira daqui. Um monte de teenager que devia ter no máximo 18 , 20 anos, estilo alternativo, música estranha. A maior furada, ficamos meia hora e fomos embora.Melhor sentra num barzinho na terça e se contentar que não terá balada do que pagar para entrar nesta espelunca.

    Terrazas del Este: tudo de bom. Fomos nos famoso after office que rola às quartas-feiras. Muito bom, só cara gato, o pessoal começou a chegar lá pelas 21:30 e vai até a 01:30. Melhor pedida para quarta. Aos finais de samana não sei se é bom.

    Niceto club: não fomos no club 69 que rola de quinta( que dizem que é o melhor dia) fomos no domingo e odiamos. Não recomendo.

    Makena: a pior balada ever. Festa estranha com gente esquisita, público com cara que acabou de faezr 18 anos e tirar a carteira, dançando break, uma galera rasta. Para quem é muiiiiito alternativo é uma boa, mas não é meu caso.

    Barhein: para quem gosta de eletrônico. Se Joga!!! Fomos sábado e amamos( não gosto de leetrônica, mas minha amiga que gostava e mesmo assim gostei). Não dá gente linda, mas tem um pessoal descolado é para quem quer dançar, mas dá para azarar tb. Tem sempre alguém interessante que se salva.

    The Roxy: Amo rock. Fomos na sexta. Todo mundo falava que lá que era demais e taltz. Achei que ia ver um monte de roqueiro estiloso tipo bon jovi mas decepção: só tinha pirralho. Lugar estranho, gente estranha, não curtimos, ficamos 20 minutos e fomos embora, dormir. Frustante. Talvez os argentinos não sejam tão exigentes quanto os brazucas e se contentem com pouco ou o que achamos estranho eles acham estiloso ou normal. Sei lá, vai saber…

    Crônico Bar: bar xexelento na plaza serrano onde quase sempre terminávamos a noite porque era um dos últimos a fechar. Final de noite divertido, só figura.

    Lupita: resto bar mexicano super estiloso em Las Canitas. Amei. gente linda, estiloso, música legal, ótima comida cool. Não é barathenho mas vale mt a pena, tanto em casal quanto solteiro.

    Isabel bar: um bar lindo muito legal, pessoal mais velho entre 30 3 40 anos. gente bonita e elegante, múicas bias, tipo lounge. Final de semana mais atrde vira uma baladinha, mas nada muito hard core.

    É isso galera!

    Responder

    • 4 de dezembro de 2013 @ 14:51 Thiago Khoury

      Fernanda, muito obrigado pelas suas dicas! Vou subi-las pro post. Valeu ;)

      Responder

  7. 25 de outubro de 2013 @ 8:49 Aleine

    Nossa, amei seu post! Parabéns! Estou indo daqui 4 dias pra lá e pode ter certeza que vou usar suas dicas, se alguma coisa tiver mudado ou se eu descobrir lugares novos aviso!

    Responder

  8. 28 de maio de 2013 @ 21:08 Vida noturna em Buenos Aires | Bares, baladas e os bairros para sair Viajando com Eles

    […] Balada em Buenos Aires !!! […]

    Responder

  9. 28 de maio de 2013 @ 10:45 Raphael Santos

    galera, estive por lá no fim de semana… em poucas palavras o que percebi foi… Pacha é balada de patricinhas e playboys, galera não vai pra se divertir vai para fazer aquele social. Se quer mesmo curtir uma balada, com galera descolada, que dança muitooo, então vá para o Kika ou Terrazas Del Leste, vai encontrar um público bem mais animado!!! No Tequila a galera também é mais pro social, é praticamente a balada mais cara da cidade, mas tem um estilo mais de bar, e o Nicetos Club parece estar meio em decadência, mas ainda é animado!!! Por fim, se quer ficar doidãoo, então vá parar no bar Brujas que depois de um certo horário na madruga vira balada, é diversão garantida, talvez o público não seja lindoooo, top da balada e tals, mas com certeza você vai conseguir sair muchoooo feliz de lá!!!
    Por último, se tem a opção de levar dólar, não hesite, o país está em crise, não tem permitido a venda de dólar, então os argentinos estão doidos atrás deles, isso significa que?? A moeda está valorizada, o Um Real = 2,50 pesos, Um dólar = no mínimo 8 pesos, mas eu encontrei lugares que tavam pagando 10, 11 pesos por um dólar, sem dúvidaaaa o melhor negócio, só calcular ( 2 Reais = 5 pesos… 2 reais = 1 dólar = 10 pesos, ou seja, o dobro), é só você realizar a troca em restaurantes, com taxistas, lojas de conveniencia, mesmo que não consuma, eles estão malucos por dólar… Cuidado: por uma questão óbvia de segurança, não vá realizar a troca de muito dinheiro, troque conforme for gastando!!! Aproveiteeeeeemmmm!!!!

    Responder

    • 1 de junho de 2013 @ 13:24 Thiago Khoury

      Oi Raphael, obrigado pela contribuição! Vou subir alguns trechinhos para o post, beleza?

      Responder

  10. 19 de abril de 2013 @ 13:21 Su

    Olá! Encontrei sua página procurando baladas em BsAs, e seu post era tudo que precisava, vou pra lá mes que vem com algumas amigas. Valeu pelas dicas!

    =)

    Responder

  11. 9 de janeiro de 2013 @ 21:43 Morelli

    Cara, meus parabéns pelo post, tudo que procuro como roteiro em buenos aires me indicam museus ou praças !! curti d+ seu post, mais tipo, quanto se gasta em média nas baladas? Uns AR$ 300? Estou planejando ir em todas!

    Responder

    • 18 de janeiro de 2013 @ 18:38 Thiago Khoury

      Olá Morelli, obrigado! Infelizmente é impossível calcular, vai do quanto você bebe ;) Muitas vezes conseguimos entrar de graça ou pagando valores baixos, como os que aparecem no texto.

      Responder

  12. 27 de novembro de 2012 @ 13:03 Dani

    Thiago, gostaria de dicas de restaurantes badaladinhos para de dia mesmo! Vc tem algum? Tkss

    Responder

  13. 25 de junho de 2012 @ 18:44 Erica Camargo

    Olá, acabei de voltar de BAs e tem um post super atualizado com as melhores baladas pra esse inverno!! Queria muito ter conhecido o Terrazas tb, vai ficar pra próxima! rs
    Beijooooooo

    http://myfashionlounge.com.br/baladas-em-buenos-aires/

    Responder

  14. 13 de junho de 2012 @ 11:39 Lali Ledesma

    Obrigado, não sabia que existia este artigo!! Você pode me adicionar como amigo no facebook, se quiser
    http://www.facebook.com/lauledesma.terrazas
    Vemo-nos Terrazas, toda quarta-feira do ano! ;D

    Responder

    • 13 de junho de 2012 @ 12:14 Thiago Khoury

      Pessoal, essa é a Lali, digam “oi” e adicionem ela no Facebook!

      Obrigado Lali!

      Responder

      • 18 de junho de 2012 @ 23:35 Lali

        Obrigado a você! Vemo-nos na Terrazas del Este-After Office toda quarta-feira do ano!! ;)

        Responder


Gostaria de deixar um comentário?

Seu endereço de email não será publicado.

*

Rodei Viagens 2010 - 2018. Todos os direitos reservados. Colabore com o blog! | Orgulhosamente hosted pelo DreamHost