26 de maio de 2022
Para onde vamos agora?

MagicBand: como a Disney mudou tudo mais uma vez

Atualizado em 19 de novembro de 2021 por Thiago Khoury

Update: 24 de março de 2017

Três anos depois a MagicBand já não é nenhuma novidade: ela já está em sua segunda versão, o app My Disney Experience é ótimo e as pessoas parecem terem se acostumado com o fastpass online – nada como um dia depois do outro!

Tudo mudou, mas a MagicBand não foi a responsável por nenhuma grande diferença: essas pulseirinhas de borracha concentram em um chip interno a chave do quarto e o ingresso do parque, além de todas as funcionalidades que ambos já traziam, como retirada de fastpass e pagamento de compras usando o nome do responsável pelo quarto que provavelmente atrelou um cartão de crédito a ele.

MagicBand em si não trouxe nenhuma grande inovação, a grande mudança está no formato: sai o cartão, entra a pulseira de borracha que não quebra, não estraga e, principalmente, não se perde.

De uma maneira menos complicada o que realmente mudou foi o fastpass que agora cria um abismo de experiência entre quem se hospeda em um hotel da empresa e quem apenas visita os parques: com o término do fastpass de papel todos temos direito ao agendamento de três atrações por parque, por dia, para furar fila com horário marcado, mas apenas hóspedes podem fazer isso até 60 dias de antecedência.

E permitir o agendamento prévio das atrações mais famosas é o mesmo que dizer que já não existe fastpass para quem não se hospeda na Disney.

Mania da MagicBand

Uma das grandes sacadas da MagicBand fez foi ter criado um novo mercado, porque, agora, além de pins e vinylmations é possível gastar uma pequena fortuna customizando pulseiras:

Magic-Band-01

Pelo menos duas lojas em cada parque agora possuem um cantinho só dela…

Magic-Band-02

 Escolhemos a cor da MagicBand durante a compra do pacote pela internet, mas apesar de poder gravar uma palavra no fundo dela, a correia tem tamanho único, que é ajustável

Magic-Band-05

O que podemos fazer para customizá-la é comprar as dezenas de apetrechos que estão a venda, como os coverbands e os magicbandits, que é o que todo mudo compra. Existem dezenas de bandits disponíveis, você não calcula…

Magic-Band-06

Ah, e você pode comprar um magicslider também, só não sei muito bem pra que…

Magic-Band-07

Ter uma MagicBand agrega valor: vi pessoas andando em Orlando exibindo as suas displicentemente, como um relógio que diz muito sobre você.

Os parques estão se gabando por terem abolido as catracas, mas n a verdade não passar pelo braço de uma catraca foi substituído pelo “touch” nos postes, primeiro para ler a pulseirinha e depois para avaliação biométrica, exatamente o que faríamos se ainda estivéssemos usando um cartão.

MagicBand na prática

Eu não irei falar sobre como pedir a sua porque a Andreza já falou sobre isso e porque eu não passei por essa experiência, aliás, eu poderia jurar que não teríamos MagicBands nessa viagem, mas todos do meu grupo receberam as suas assim que chegamos no hotel.

O que percebi primeiro: para grandes grupos ela ainda não funciona. Eu era cadastrado no My Disney Experience e poderia atrelar minha pulseira a minha conta perfeitamente bem, mas como pedir para que 47 meninos e meninas fizessem isso?; e, se fizessem, como fazer com que todos programassem os mesmos horários nas mesmas atrações?

Impossível. Eles ofereceram um único funcionário para ajudar todos os 18 grupos da minha empresa no hotel. Deu, mas deu de uma forma bem amadora: durante toda a viagem ninguém conseguiu inserir um determinado quarto ao grupo de 50, então quatro passageiros ficavam sempre a mercê da minha capacidade de oratória na entrada das atrações com horário agendado.

MagicBands

Outro problema é o My Disney Experience que, apesar de ser incrível, ainda parece se tratar de uma versão beta: nele podemos reservar restaurantes, programar fastpasses e acompanhar o andamento das filas do parque, mas mesmo sabendo que ele funciona melhor quando não se tem outras 50 pessoas com você, os problemas de usabilidade do aplicativo ainda são insuportáveis (travamento constante, demora na atualização de informação, lentidão…).

E nem tudo que se faz no aplicativo se faz pela internet: descobri que não da para tirar membros da família pelo navegador, apenas pelo app. Bem, na verdade nem pelo app: quando tentei tirar meus 47 meninos que estavam atrelados a mim precisei entrar em contato com a Disney, por e-mail, para que eles terminassem o serviço.

MagicBand é muito mais do que uma pulseira

Deve ser uma sensação deliciosa vender esse mundo de penduricalhos, mas o que eles realmente desejam é conseguir as informações que você não imagina estar passando: suponhamos que você compre sete dias de hospedagem, mas agende atrações para apenas três deles – agora eles irão saber que nos outros quatro você pretende sair do complexo por motivos diversos, o que irá dar a eles a oportunidade de tentar fisgá-lo antes que isso aconteça.

MagicBand é muito mais do que uma pulseira, é uma forma de fazer com que você ande com aquele cartão que já reunia todas aquelas funcionalidades durante a maior parte do tempo, assim eles irão ter acesso privilegiado as intenções de seus clientes, aquilo que eles pensam, pretendem e desejam, além de vender alguns penduricalhos pelo caminho.

Resumo: e ai, curtiu ou não?

Como disney-freak que sou achei uma bela jogada, o problema é que como turista sei que isso pode prejudicar a minha viagem.

Também não curti porque trabalho com grandes grupos e até o momento não existe nenhum tipo de instrução ou forma de aplicar o produto para tanta gente assim. Como adulto que sou também não me agradou usar uma pulseira a maior parte do dia, foi como usar dois relógios, um em cada braço.

E o mais importante: pela primeira vez eles não estão dando um benefício para quem é hóspede, estão prejudicando a experiência de quem não é. Esperem pelas críticas.

Update: pronto, mudança realizada: desde hoje, 31 de março de 2014, quem não se hospeda nos hotéis da Disney também poderá agendar fastpass+ com até 30 dias de antecedência. Essas pessoas poderão comprar MagicBands, mesmo que elas não sejam necessárias para entrar em atrações, onde os ingressos também poderão ser utilizados. Hóspedes dos hotéis Disney continuam com antecedência de 60 dias de agendamento.

Outras dicas do blog para programar a sua viagem:

  Já sabe onde ficar em Orlando? Fiz uma lista com as melhores opções nos arredores da Disney e outra na região central da International Drive, mas um que gosto muito é esse Holiday Inn completinho.

  Já contratou seguro de viagem? Seguro é essencial nos Estados Unidos, principalmente em tempos de Covid! O comparador Seguros Promo oferece pelo menos 10% de desconto para leitores do blog e ainda parcela no cartão!

  Você consegue viajar sem celular? Não deixe de sair do Brasil já com o seu chip americano com internet ilimitada de verdade - e através do link do blog você leva pelo menos 15% de desconto e ligações gratuitas e ilimitadas para o Brasil!

  Para alugar carro na Flórida pelo menor preço pesquise em todas as locadoras de uma só vez na Rentcars. Eles possuem escritório no Brasil com atendimento em português!

Previous Article

10 coisas incríveis que aconteceram na minha última viagem a Orlando

Next Article

Incêndio em hotel: corra, tem uma cortina pegando fogo!

You might be interested in …

4 Comentários

  1. minha experiencia com a magic band essa temporada foi bem catastrófica. acho ótimo que agora os meninos não percam mais a chave e não tenham q me acordar as 23hs (rsrs) pra levá-los ate a recepção e pedir uma nova, mas poxa, o agendamento de fast pass ta pra matar qualquer um. a começar por ter que escolher só três atrações que já são separadas em categorias.. como faz o hollywood studios tendo que escolher entre torre e rocknroller e sem nenhuma possibilidade de conseguir toy story? nosso jeito foi abortar a bela e a fera depois de 2hs e meia de fila no midway e encher linguiça com indiana jones, oq é lamentável…
    o jeito foi ir, de vespera, até a recepção pedir pra agendar 40 fastpasses com 15 pulseiras diferentes e depois ir devolvendo pulseira por pulseira, de quarto em quarto. praticidade zero.

  2. Achei bem interessante seu ponto de vista! Em novembro fui com o marido e tudo ocorreu muito bem! Mas realmente o lance do fastpass tá difícil.. se você não se hospedar no hotel é pra chorar. Tínhamos mais 3 pessoas com a gente mas estavam fora do complexo, aconteceu de nos conseguirmos agendar pelo cel e eles não terem mais nenhum horário disponível nas máquinas! Eles estão é fazendo você se hospedar cada vez mais nos hotéis, afinal, isso nunca foi tão “vantajoso”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*