13 de agosto de 2022
Para onde vamos agora?

Ih, fudeu: fiz 28

Atualizado em 22 de agosto de 2018 por Thiago Khoury

Sério, e agora? Tem tanta coisa acontecendo no mundo e eu não faço parte nem da metade delas. Não descobri a cura do câncer, não criei uma ong e faço tão pouco em prol dos mais necessitados, aliás, criei uma ong em prol de mim mesmo que anda a beira da falência.

Olha, se fizerem uma CPI com tudo que prometi e não cumpri é capaz de me colocarem na mesma cela do Dirceu.

Li há pouco tempo um artigo escrito por alguém que defende o direito do foda-se para 14 situações que geralmente nos faz perder o sono: foda-se para passar a acordar cedo, para viver intensamente, para planejar o futuro, para largar antigos vícios…

Bem, eu dou foda-se a ele. Sou um romântico, não tem foda-se que me cure. Sou desses que pode até dividir cela com Dirceu, mas prometerei eternamente acordar mais cedo, comer menos fritura e não pedir a sobremesa. É impensável imaginar uma vida onde o caminho entre o desejo e a realização é incapaz de burlar a displicência de um foda-se.

Nunca tive jogo de cintura com o aniversário desse que vos fala, mas adoro os dos amigos. Sou desses que adoece quando o dia se aproxima. Fico tenso com tanta gente bacana me desejando coisas incríveis sem saber se um dia terei pelo menos metade de tudo isso.

Fazer 21 e 22 é tão simples que a gente curte até piada de parente que só aparece em festa de fim de ano, mas quando o dois começa a sair da casa das dezenas tudo que a gente quer é ter a certeza de que temos, ou teremos, metade de tudo que nos desejam.

E agora com 28?

Se no ano passado eu era um poço de esperança, esse ano sou um poço de paz. Seguindo a pegada da virada do ano, tenho deixado a vida me levar. Sim, estou ficando cada vez mais velho e cada vez menos rico. Não casei, não levo café na cama, não dou beijinho de bom dia… Não sou dono de um negócio incrivelmente criativo e lucrativo, não lancei um livro e não estou de frente com Gabi.

O legal é que apesar de tudo que ainda não rolou, de uma coisa tenho certeza: o caminho nunca foi tão divertido. O bacana é que tirando a coluna, que ainda dói, quando faço a barba vou dos 28 aos 22 com uma demão de pós-barba.

E sabe o que digo para quem disser o contrário?

Uhum. Isso mesmo.

Outras dicas do blog para programar a sua viagem:

  Já sabe onde ficar? Veja a lista com todos os hotéis que já conheci na página "dicas de hospedagem" e faça a sua escolha!

  Já contratou seguro de viagem? Seguro é essencial, principalmente em tempos de Covid! O comparador Seguros Promo oferece pelo menos 10% de desconto para leitores do blog e ainda parcela no cartão!

  Você consegue viajar sem celular? Não deixe de sair do Brasil já com o seu chip internacional com internet ilimitada de verdade - e através do nosso link você leva pelo menos 15% de desconto!

  Para alugar carro no Brasil e no exterior pelo menor preço pesquise em todas as locadoras de uma só vez na Rentcars. Eles possuem escritório no Brasil com atendimento em português!

Previous Article

Dica para almoço, lanche e sobremesa em Animal Kingdom

Next Article

Quais as melhores formas de se viajar pela Austrália?

You might be interested in …

14 Comentários

  1. É clichê mas é a mais pura verdade: só ficamos melhores com o tempo!
    Passei por uma crise qdo fiz 30, acho q foi o pior ano/aniversário da vida…quem diria que os que se seguiram seriam os melhores?
    Hoje estou a alguns meses dos 33 e logo mais indo visitar a Disney pela 1ª vez, feliz q nem criança e certa de que aconteceu no momento certo.
    Conheci seu blog pesquisando sobre Orlando, li muito pouco do blog até agora mas gostei muito, especialmente desse post (que nem tem a ver com a minha pesquisa) pq me identifiquei, cada vez mais eu quero deixar a vida me levar, especialmente se for de avião e pra outros destinos ;-)

  2. Vale parabéns atrasado? vale quando é de coração, neh?! Adoro o blog e não poderia deixar de desejar felicitações a quem se dedica a ele. Que vc possa “rodar” por mais 28 anos. Feliz aniversário!!! Tudo de bom! :*

  3. Parabéns aí, Travelbro! Que saudades do tempo que eu ia do 28 aos 22 só fazendo a barba… Na verdade, naquela época, eu costumava deixar a barba por fazer só para impor um pouco de respeito e parecer ter os benditos 28 que eu, de fato, já tinha! Mas enfim… Fazer aniversário é assim mesmo, um pouco de reflexão e mais um tanto de “foda-ses”. De qualquer modo, muita paz e diversão aí. É disso que é feita a vida!

  4. Primeiramente, desejo os parabéns. Não o conheço, mas pelos textos, parece que somos amigos, pois pensamos bem parecido. Eu, (in)felizmente já passei dos 28 há algum tempinho, mas com certeza procuro não pensar na idade, mesmo com os cabelos brancos, pois dizem que isso é charme. Às vezes penso se quero ser “charmoso” ou parecer mais novo, pintando os cabelos. Brincadeiras à parte, o mais importante é procurar ser feliz. De vez em quando, dizer o foda-se também nos ajuda sermos felizes kkkk Li várias dicas, da Europa, no seu blog, que me orientaram e me divertiram muito. Felicidades. Abraço

  5. Gostei de ler o “poço de paz”, e ainda digo que a paz tende a aumentar daqui pra frente! :) Os 30 me assustavam também, mas tem sido a melhor idade até agora.
    E um “foda-se” quando necessário é essencial! Bora rodar mais pra gente ter suas dicas! Beijo

  6. Boa, Thiago! Mandou bem no depoimento de quem está nos 2.8 (daqui uns meses serei eu). E é bem isso que você disse mesmo: um “foda-se” pra algumas coisas nunca vai mal.

    Em tempo, e mais uma vez, parabéns pelo aniversário! Que contemos com mais textos seus e continuemos a “rodar” por aqui.

    Abraços!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*