O Excelentíssimo Estatuto da Muamba: dicas de compras nos Estados Unidos

Atualizado em 29 de novembro de 2017 por Thiago Khoury

Depois de tanto falar do excelentíssimo estatuto da muamba nas últimas semanas resolvi dar-lhe vida: escrevi um compilado com dez dicas essenciais para quem está prestes a viajar para os Estados Unidos e pretende trazer de tudo um pouco, mas sem se arrepender depois:

O Excelentíssimo Estatuto da Muamba: dicas de compras nos Estados Unidos

10. Não poderás viajar sem antes pesquisar os preços na internet

Se você pretende voltar com tudo aquilo que você vem sonhando nos últimos dias por preços muitos menores não deixe de pesquisar também pela internet: lá o estoque é quase sempre ilimitado, os preços tendem a ser mais baixos e você ainda recebe as compras no quarto antes de começar a por o roteiro em prática, o que pode fazer você aproveitar a viagem ainda mais.

+ Como comprar pelo amazon.com e receber no Brasil ou nos Estados Unidos

+ Onde comprar artigos de decoração, cama, mesa e banho nos Estados Unidos

9. Não deverás levar os seus reais para adquirir dólares durante as viagem

Pela primeira vez vi um grupo de passageiros levar reais na pretensão de comprar dólares nas casas de câmbio dos shoppings de Orlando, mas o melhor negócio que eles conseguiram foi comprar dólar a R$ 2,72 quando no Brasil ele era vendido a menos de R$ 2,60. Se você tem dinheiro de resguardo o melhor é usá-lo para pagar a fatura do cartão no mês seguinte.

+ Estou indo viajar, mas que moeda eu levo?

+ Como acompanhar a cotação do dólar

8. Deverás ter consciência do limite de malas despachadas

Comprei um lindo edredom da Tommy Hilfiger em uma promoção relâmpago na Macy’s por inacreditáveis 60 dólares aos 45 do segundo tempo, a caminho do aeroporto. Com duas malas cheias tive que comprar uma terceira, bem menor e vagabunda – eis que por uma terceira mala a companhia aérea me cobrou 85 dólares, o que fez o edredom sair por 175, o mesmo preço que ele tinha antes dos cortes da promoção.

+ Como escolher a mala perfeita

+ Como evitar o extravio de malas

7. Não deverás adquirir, sob risco de chacota, os antigos traveler checks

Não sei se você ainda conseguirá comprá-los, mas, caso consiga, simplesmente não: ninguém aceita, ninguém troca e se você não tiver nascido nos anos 1960 nada justifica viajar com folhas de cheque em um mundo tomado por cartões de crédito, débito e pré-pagos de viagem.

+ Que moeda levar, em que formato e de que forma

6. Irás primeiro aos outlets

Santa dica para quem pretende comprar os tubos: comece a viagem com os outlets, assim você mata o grosso do que precisa e deixa os shoppings tradicionais para compras complementares. Não há nada pior do que se esbaldar em calças e sapatos no primeiro dia e depois encontrar versões muito parecidas pela metade do preço.

5. Deverás conferir as compras antes de sair da loja

Jamais caia na tentação de conferir as sacolas apenas ao chegar no hotel, ou pior ainda, prestes a fazer as malas: você não acredita no número de pessoas que levam dois pés de um mesmo par de tênis ou deixam a camisa certa para trás e levam aquela que marcou maravilhosamente bem a gordurinha entre o quadril e a costela. Com relação aos eletrônicos, não deixe de testá-los o quanto antes.

4. Deverás conferir o troco

Em qualquer lugar do mundo podem acontecer falhas ao calcular o troco: fique de olho no quanto você deu e quanto deveria receber em troca. Conheça as moedas pelo nome: as moedas de um, cinco, dez e vinte e cinco possuem nomes e eles serão insistentemente usados pelos americanos; penny, nickel, dime e quarter, respectivamente.

3. Deverás guardar todas as notas fiscais – e fotografá-las

Isso pode ser útil para fazer alguma troca, para pleitear prêmios on-line (procure impresso no final da nota algum convite para participar de pesquisas e receber prêmios ou descontos pelas suas respostas) ou para provar que determinado produto estava mais barato em alguma outra loja e receber a diferença caso haja a política de “menor preço garantido”. Outro ótimo motivo para guardar notas é, em caso de necessidade, provar que algo vale menos do que a receita diz valer ao passar pela alfândega. Eu gosto de fotografá-las porque geralmente pago por garantia estendida, e raramente os dados impressos na nota duram mais do que alguns meses.

2. Jamais deixarás as compras no carro e ficarás atento às sacolas

Lugar de sacola é com você, ao alcance dos olhos: sacola no carro ou no cantinho da loja não dura nem dez minutos. Com relação a organização do quarto: lembre-se que em quartos tomado por furacões humanos os produtos se perdem e com eles vai também o direito de reclamá-los.

+ É melhor fazer compras em Orlando ou Miami?

+ É melhor fazer compras em Miami ou Nova York?

1. Deverás se perguntar em momentos de incerteza: qual a real utilidade disso no meu atual contexto de vida?

Fiz mais uma viagem focado no trabalho e em eventuais compras para equipar o meu apartamento, mas acontece que entre uma espátula de silicone e outra acabei passando pela Calvin Klein e vi um casaco de couro de pelica forrado por moletom por menos da metade do preço.

Só que caminhando em direção ao caixa pensei: moro em Belo Horizonte, nem no nordeste tem feito tanto calor nos últimos anos. E olha que tenho dois casacos lindos em casa… Nos 45 do segundo tempo me veio a pergunta em mente: qual a real utilidade disso no meu atual contexto de vida?

Jamais terei um casaco de couro de pelica forrado por moletom por menos da metade do preço novamente, mas a consciência nunca esteve tão tranquila!

Comentários (4)
Adicionar comentário
  • Marcello Cardoso

    Ótimas dicas. Vi em alguns lugares que você também consegue o Taxfree, que é receber parte do imposto que pagou naquele produto de volta. Vale a pena dar uma olhada. Valeu pelo post.

  • Heloisa

    Muito bom!

  • Thaís Towersey

    Todas as dicas são ótimas, Thiago, mas sem dúvidas a número 1 é a mais importante.! Às vezes a gente se empolga tanto com o preço que acaba comprando coisas inúteis.
    Aprendi a me controlar muuuito com isso com o passar das viagens, e sempre antes de chegar no caixa revejo todo o meu carrinho e vou tirando o que realmente não vou usar ou já tenho parecido. E o bom dos Estados Unidos é: praticamente todas a lojas aceitam devoluções! Se você acabar caindo em tentação, é só voltar e pedir o dinheiro de volta. Só deus sabe o quanto já fiz isso :)

    • Thiago Khoury

      Oi Thaís, eu também sempre deixo coisas para trás entre o final da fila e a minha vez de ser atendido pelo caixa!